Família tenta retirar veículos de luxo em desabamento, mas idoso fica soterrado

Segundo o Corpo de Bombeiros, a obra para a construção de uma fosse pode ter ocasionado o desabamento do teto da casa. Ao ouvir ‘estalos’, família ainda conseguiu retirar uma Mercedes

Manaus – Um idoso foi resgatado pelo Corpo de Bombeiros, na madrugada deste domingo (6), após o teto da garagem da casa onde ele mora desabar, no bairro Dom Pedro, zona centro-oeste de Manaus. Uma picape, modelo Amarok, também foi atingida pelos escombros. Uma obra para construção de uma fossa atingiu a coluna principal da casa e, durante a madrugada, ao ouvir os ‘estalos’, o idoso e a filha tentaram fazer a retirada dos veículos, entre eles uma Mercedes, quando o idoso foi atingido pelo desabamento.

O acidente ocorreu, segundo os Bombeiros, por volta das 2h30, na rua Jurema, no conjunto Kissia. Pedro Ângelo da Silva Filho, 67, foi retirado com vida dos escombros, que atingiram principalmente as pernas do idoso, e seguiu para atendimento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

“Construíram a fossa e os pedreiros encontraram a coluna principal do meio da residência. Disseram (proprietários): ‘faz aí mesmo a fossa’. Com isso, a um determinado horário da noite, começou estalos na estrutura. Estalou, estalou, estalou e a filha do dono chegou tirar um veículo Mercedes, mas ficou a Amarok deles. O proprietário tentou tirar o patrimônio deles, a estrutura caiu em cima do dono”, explicou o tenente Lobato.

De acordo com a corporação, na casa do idoso havia uma escavação, que pode ter sido o motivo do desmoronamento da estrutura de alvenaria. “Acredita-se que essa escavação tenha causado a desestabilização do barranco que deslizou e fez cair a estrutura que suportava a o teto da garagem”, informou o órgão.

Para retirar o idoso dos escombros, foram usadas técnicas de retirada de vítimas de estruturas colapsadas, segundo os Bombeiros. “Tivemos que tirar os ferros que ficaram torcidos em cima do senhor. Isolamos e acionamos a Defesa Civil”, disse o tenente.

Até a avaliação da Defesa Civil, nenhum morador poderia entrar na casa, segundo informou o tenente.