Familiares de detentos reivindicam direitos dos internos em unidade prisional de Manaus

Segundo os familiares, 25 detentos que pertencem a uma facção criminosa em Manaus, foram transferidos para outro pavilhão onde estão integrantes de uma facção rival

Manaus – Na manhã desta terça-feira (2), familiares de detentos reivindicam os direitos dos internos da unidade prisional que fica no KM8 da BR-174. Elas acusam o Governo do Amazonas, de querer que os presos entrem em conflito no sistema prisional. Segundo os familiares, no último dia 24 de fevereiro, 25 detentos que pertencem a uma facção criminosa em Manaus, foram transferidos para outro pavilhão da unidade prisional, onde estão integrantes de uma facção rival.

“A gente não está aqui pra brigar por facção, estamos aqui para brigar pelos direitos dos internos. Quatro celas lá, estão sendo motivo de degladiação. O secretário de segurança já teria falado que quer morte, mas os internos não querem que isso aconteça, eles querem paz. Nós também também queremos paz, por isso estamos nos manifestando aqui”, disse a familiar de um interno, que não quis revelar o seu nome.

Familiares dos detentos pedem paz e fim de opressão (Foto: Divulgação)

Outras situações retratadas pelos familiares é a duração da chamada de vídeo, que em vez de durar 20 minutos, duram apenas cinco. Além das condições sobre humanas que os internos estariam passando no sistema prisional.

“Eles estão lá dentro, mas já estão pagando pelos erros deles. Eles não têm comida, eles não têm água, inclusive passam dias sem tomar banho porque a água não chega. Eles passam necessidade, se alimentam de comida azeda e a SEAP, juntamente com o Secretário, publica que ta tudo bem, sendo que não está”, completou a mulher.

O medo dos familiares, é que caso não haja melhorias e também a transferência dos 25 detentos que estão no pavilhão rival, possa gerar um conflito proposital dentro do sistema penitenciário, fazendo com que recebam seus parentes mortos.

blank

A manifestação ocorreu em unidade prisional que fica no KM8 da BR-174 (Foto: Divulgação)

“Os advogados já entraram com pedidos para cancelar essa transferência, mas o Secretário não dá resposta. Devido a pandemia, tudo fica mais demorado. Será que vão entregar nossos parentes mortos? Porque quando eles entram na cadeia, eles estão sob o poder do Estado. É dever do Estado cuidar dos presos. A gente não está dizendo que eles estão certos, pois estão pagando pelos erros deles, mas é dever do Estado garantir a segurança dos presos”, finalizou.

A manifestação pacífica dos familiares dos internos foi acompanhada pela Polícia Militar do Amazonas, com apoio da Polícia Rodoviária Federal, que reforçaram o policiamento na entrada do complexo penitenciário.

Nota Seap

A Seap informa ainda que não reconhece qualquer facção criminosa, e que a alocação de internos no sistema é feita de acordo com critérios técnicos atendendo a segurança de todos, portanto não irá ceder a pressões que tenham quaisquer tipo de interesses escusos. “Hoje o sistema prisional está organizado, com regras rígidas, que são fiscalizadas permanentemente por todos os órgãos de controle”, afirmou o secretário Vinícius Almeida.

Anúncio