Funcionamento de praças de alimentação e feiras livres é alterado

A partir da próxima quarta-feira (25) até o dia 13 de abril, o funcionamento das feiras livres (itinerantes) está suspenso

Manaus – Em atendimento às determinações do prefeito Arthur Virgílio Neto, por meio de decreto municipal publicado no último dia 17 (terça-feira), que colocou Manaus em Situação de Emergência, para conter a transmissão do novo coronavírus, a Secretaria Municipal de Agricultura, Abastecimento, Centro e Comércio Informal (Semacc) adota medidas relacionadas ao funcionamento das feiras livres (itinerantes) e praças de alimentação que funcionam em feiras, mercados, galerias populares e no shopping Phelippe Daou, no Jorge Teixeira, zona leste.

As praças de alimentação que funcionam em galerias como a dos Remédios estão proibidas de atender clientes em mesas; funcionamento está permitido apenas para delivery (Foto: Marcio James/Semcom/Divulgação)

A partir da próxima quarta-feira (25) até o dia 13 de abril, o funcionamento das feiras livres (itinerantes) está suspenso. Esse prazo pode ser prorrogado. Já as feiras e mercados da cidade continuam funcionando, pois fazem parte da cadeia de abastecimento da população.

Todos os feirantes já foram orientados em relação aos procedimentos de higiene necessários para evitar o contágio pela Covid-19, como lavar as mãos com água e sabão, usar o álcool em gel e evitar aglomerações nas proximidades de suas bancas ou boxes. As barracas de lanche no Centro também serão orientadas a não usar mesas e cadeiras e vender apenas para entrega.

As praças de alimentação que funcionam em feiras e mercados, bem como nas galerias Espírito Santo e dos Remédios, no Centro e Shopping Phelippe Daou, respectivamente, também estão proibidas de atender clientes em mesas. O funcionamento está permitido apenas para atendimento delivery. O controle dessa medida será feito pelos administradores de cada espaço.

“Nós precisamos preservar tanto a saúde da população quanto a dos permissionários desses espaços. Os que são de grupo de risco, acima de 60 anos, foram orientados a ficar em casa desde a semana passada. Mas precisamos frear a circulação do vírus e, seguindo orientação do prefeito Arthur Neto, quanto menos pessoas estiverem circulando, mais estaremos contribuindo para que Manaus saia desse quadro”, explicou o secretário da pasta, Fábio Albuquerque.

Anúncio