FVS-AM acompanha surto de dengue em Boca do Acre

Município registrou aumento de 181%, nas notificações na comparação entre os meses de agosto e de setembro

Brasília – Uma equipe técnica da Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) acompanha, nesta quarta-feira (21), ação de controle da dengue em Boca do Acre (a 1.028 quilômetros a sudoeste de Manaus), devido a surto da doença no município, com aumento de 181%, nas notificações na comparação entre os meses de agosto e de setembro.

Levantamento do Departamento de Vigilância Ambiental (DVA/FVS-AM) aponta que, em agosto, foram 44 casos notificados de dengue em Boca do Acre. Já em setembro, foram 124, conforme o Sistema de Informação de Agravos de Notificação (Sinan), do Ministério da Saúde.

Boca do Acre foi classificada como de “médio risco” (Foto: Divulgação/FVS-AM)

O aumento foi registrado nos últimos dois meses. Já na comparação entre 2020 e 2019, há baixa oscilação dos dados no município. Consta no Sinan que foram 232 casos da doença de janeiro a setembro de este ano, e 228 no mesmo período do ano passado. No último Levantamento rápido de índices para Aedes aegypti (LIRAa), este ano, Boca do Acre foi classificado como “médio risco”, sendo os criadouros predominantes localizados em lixo.

Segundo a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, a equipe vai apoiar as ações da Secretaria Municipal de Saúde de Boca do Acre. Os municípios que mais apresentaram notificações por dengue são: Manaus (1.831 notificações); Guajará (1.040); São Gabriel da Cachoeira (883); Benjamin Constant (656) e Humaitá (582).

Anúncio