FVS do Amazonas confirma mais um caso de Covid-19 no Estado

Trata-se de um paciente de 55 anos; com esse anúncio, Manaus passa a ter dois casos confirmados do novo coronavírus

Manaus – A Fundação de Vigilância em Saúde do Amazonas (FVS-AM) confirmou mais um caso de Covid-19 no Estado, durante coletiva realizada na tarde desta quarta-feira (18). Trata-se do diretor da Fiocruz, o biólogo Sérgio Luís Bessa Luz, 55, que atestou positivo e encontra-se em isolamento domiciliar. Com esse anúncio, Manaus passa a ter dois casos confirmados do novo coronavírus.

O caso do vice-reitor da Universidade Federal do Amazonas (Ufam), professor Jacob Cohen, que testou positivo para coronavírus na segunda-feira (16), por meio de um teste da Fiocruz, foi descartado pela FVS-AM. As amostras enviadas ao único laboratório considerado oficial pelo Ministério da Saúde (MS), o Laboratório Central de Saúde Pública do Amazonas (Lacen/AM), apresentaram resultado negativo.

Segundo a diretora-presidente da FVS-AM, Rosemary Costa Pinto, desde o dia 29 de fevereiro até esta terça-feira (17), 44 casos foram notificados. Destes, 39 foram descartados. Além disso, três pacientes estão sendo acompanhados e aguardam o resultado do Lacen/AM.

(Foto: Josué Damacena/Divulgação)

“O primeiro caso, a paciente procedente da Inglaterra, que já saiu do período de transmissibilidade, portanto, já encontra-se na situação curada. E nós temos um outro, que é o diretor da Fiocruz, que esteve na Espanha. Nós estamos acompanhando o resultado dele. Confirmou o resultado laboratorial da Fiocruz, ontem [terça-feira, 17], pela manhã. O Lacen procedeu essa amostra e confirmou que é um caso positivo. Esse paciente encontra-se muito bem, está em isolamento domiciliar, separado da família”, afirmou.

Conforme Rosemany, desde que retornou da Espanha, Bessa Luz está cumprindo todos os rigores de isolamento e não teve contato com quem ele possa ter transmitido o vírus. Ele continua sendo monitorado pela FVS-AM.

A diretora-presidente da FVS-AM afirmou que todas as ações do plano de contingência continuam sendo realizadas. De acordo com ela, muitas notificações estão sendo recebidas, mas a maioria não está atendendo definição de caso.

“São pacientes que não viajaram, não se descolaram para dentro do Brasil e nem para fora. Eles não apresentam sintomas significativos, a maioria tem uma tosse seca. Portanto, esses casos estão sendo descartados. Lembrando que nós temos em curso, hoje, uma epidemia de síndrome respiratória aguda causadas por outros vírus, como Influenza A H1N1, Influenza B, além de vírus sincicial respiratório, adenovírus, metapneumovírus, que são comuns nessa época do ano e estão associados ao nosso período chuvoso”, explicou.

Ainda segundo Rosemary, desde novembro de 2019, a FVS-AM está monitorando 390 casos graves causados por esses vírus, em que alguns deles necessitaram de atendimento de UTI. Destes casos, 35 óbitos foram registrados por essas síndromes respiratórias graves.

Interior do Estado

Conforme a diretora-presidente, a FVS-AM tem recebido notificações do interior, que são avaliadas pelas vigilâncias epidemiológicas do município e do Estado. Até o momento não há nenhum caso confirmado em outros municípios do Amazonas. Os casos suspeitos registrados em Rio Preto da Eva, Humaitá e Parintins foram avaliados e descartados.

“Os kits de diagnósticos não serão descentralizados para o interior. Quem está credenciado pelo Ministério da Saúde para fazer esse exame é apenas o Laboratório Central de Saúde Pública. Nós capacitamos, em novembro, já nos antecipando ao período sazonal da gripe, profissionais bioquímicos dos nove polos regionais para que eles pudessem coletar essas amostras e encaminhar para o Lacen. Isso pensando em síndrome respiratória aguda grave. Como nós temos o mesmo procedimento para o novo coronavírus, então, nós temos, sim, profissionais capacitados, que passarão, ainda nesta semana, por uma nova capacitação”, acrescentou.

Os municípios do interior também estão com planos de contingência prontos e em execução, como em Tabatinga, que faz fronteira com a Colômbia, e Parintins, que possui a segunda maior população do Estado.

Anúncio