Governador aguarda reforço nacional e anuncia transferência de presos

As informações foram divulgadas, nesta terça-feira (28), por Wilson Lima, durante entrevista ao programa ‘DIÁRIO DA MANHÃ’, da RÁDIO DIÁRIO 95,7 FM

Manaus – O governador do Amazonas, Wilson Lima, ‘abandonou’ a agenda que cumpriria em São Paulo e retornou a Manaus, na madrugada desta terça-feira (28), para cuidar pessoalmente da crise penitenciário do Estado. Em dois dias, foram registradas 55 mortes em dois dias, segundo a Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap).

Em entrevista ao programa ‘DIÁRIO DA MANHÃ’, da RÁDIO DIÁRIO 95,7 FM, nesta terça-feira (28), Lima afirmou que entrou em contato com o ministro da Justiça, Sérgio Moro, que já havia encaminhado uma equipe da força tarefa, no domingo (26), para dar apoio ao Estado. A expectativa é que ainda, nesta terça, desembarque, em Manaus, 20 homens e até o final da semana 100 estejam aqui para prestar apoiar.

“Eu cancelei a agenda que tinha em São Paulo. Tinha outros compromissos lá, mas cancelei minha agenda e embarquei na madrugada desta terça. Daqui a pouco estarei reunido com as forças de segurança do Estado para definirmos as estratégias para esta terça e fazermos uma avaliação do que está acontecendo”, disse.

O governador do Estado, Wilson Lima (Foto: Sandro Pereira)

Nacional

Ainda segundo o governador, o ministro Sérgio Moro garantiu que abrirá vagas para que os mandantes das execuções sejam transferidos, ainda nesta semana, para presídios de segurança máxima. Lima afirmou que nove detentos já foram identificados e serão encaminhados.

Sobre uma possível intervenção do governo federal na administração das unidades prisionais do Estado, Lima enfatizou que não há necessidade de o governo federal intervir, pois o governo do Amazonas está conseguindo manter o controle em todas as unidades.

“Diferente do que aconteceu em 2017, nós agimos rapidamente, não houve fugas, não houve a entrada de armas de fogo. Nós necessitamos desse apoio do governo federal, com apoio de homens, que tem uma estrutura bem maior e vai nos ajudar a impedir quaisquer atos que possam acontecer futuramente”, afirmou.

Gabinete

Um gabinete de crise foi montado para acompanhar a situação nas unidades prisionais. Órgãos do sistema de segurança, judiciário, Assembleia Legislativa, Ordem dos Advogados do Brasil – Seccional Amazonas (OAB-AM), Defensoria Pública do Estado (DPE-AM) e Ministério Público do Estado (MP-AM) compõem o gabinete. O intuito é auxiliar nas liberações dos corpos, além de facilitar os procedimentos legais, conforme o governador.

“O governo do Estado está em contato direto com os familiares. Os corpos estão sendo identificados. E nós estamos trabalhando. O governo do Estado tem o compromisso de continuar trabalhando no sistema prisional com a rigidez e disciplina, para garantir a segurança de quem está lá dentro e também de quem está aqui fora”, acrescentou.

Quanto aos áudios e imagens que estavam sendo repassados em aplicativos de mensagens, pedindo que a população não saísse de casa, o governador alertou a sociedade e pediu que tomem cuidado ao repassar as mídias, pois muitas delas tratavam-se de episódios que aconteceram em outros anos.

Anúncio