Governo amplia diagnóstico e prevenção de HIV/Aids e lança campanha estadual

Nesta segunda (29), a rede estadual de saúde ganhará seu terceiro Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA) que promove à população acesso ao diagnóstico e à prevenção de HIV/Aids

Manaus – A Semana Estadual de Conscientização do Diagnóstico Precoce de HIV será marcada pela ampliação dos serviços de diagnóstico no Estado. Nesta segunda-feira (29), a rede estadual de saúde ganhará seu terceiro Centro de Testagem e Aconselhamento (CTA), serviço oferecido pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam) que promove à população acesso ao diagnóstico e à prevenção de HIV/Aids e outras doenças sexualmente transmissíveis de forma anônima, além de aconselhamento.

O secretário estadual de Saúde, Rodrigo Tobias, afirmou que doenças de maior incidência são prioriedade (Foto: Roberto Carlos/Secom)

A abertura da Semana Estadual de Conscientização do Diagnóstico Precoce de HIV será às 9h, na Policlínica Gilberto Mestrinho, na Avenida Getúlio Vargas, no Centro de Manaus, onde foi implantado o novo CTA. Na ocasião, será lançada a campanha ‘Teste. Trate. Viva. Faça o teste de HIV’, pela Coordenação Estadual de IST/Aids e hepatites virais, vinculada à Fundação de Medicina Tropical Doutor Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).

No último sábado (27), o secretário estadual de Saúde (Susam), Rodrigo Tobias, afirmou que a pasta está trabalhando com planejamento para o combate das doenças de maior incidência no Amazonas como tuberculose, hanseníase, HIV/Aids e câncer de colo uterino. “Nós temos nos preocupado com o conjunto de ações e serviços a serem desenvolvidas. Isso pressupõe uma reorganização do Sistema de Saúde, ambulatórios especializados para o enfrentamento dessas doenças em comunicação com a atenção básica e especializada”, destacou.

O secretário participou do ‘Fórum de Doenças de Maior Frequência no Amazonas’, realizado pelo Conselho Regional de Medicina do Amazonas (CRM-AM) e salientou que o panorama das doenças auxiliam na formulação de políticas públicas. “Saber das grandes mazelas do Estado, escutar especialistas sobre o padrão de mortalidade da nossa população nos ajuda na gestão, a pensar e construir políticas públicas estaduais pensando na qualidade de vida das pessoas”, disse Tobias.

Conforme o secretário, o quadro atual é o que se chama de “tripla carga de doença”, ou seja, doenças infecciosas, doenças crônicas não transmissíveis e as causas externas. Assim, é preciso de um fortalecimento da atenção primária. “Se a gente não fizer esse movimento de financiar a atenção básica dos municípios, a gente vai continuar afogando o nosso sistema especializado”, revelou o secretário, ao ressaltar que a Susam trabalha ações no sentido integrar os dois níveis de assistência – básica e especializada – o que vai ajudar no enfrentamento desses agravos de forma sistematizada.

Para o presidente do Cremam, José Bernardes Sobrinho, o Fórum dá a possibilidade do planejamento de medidas de combate às doenças que o Amazonas se sobressai entre os demais Estados com base nas informações dos profissionais de saúde.

Anúncio