Governo do AM cancela auxílio para adolescente na fila de transplante em SP

Isaque está na fila de transplante em SP por não ter atendimento adequado na capital. Com o benefício suspenso, o adolescente pode perder a vaga na fila da cirurgia

Manaus – Isaque Emanuel Gama Oliveira, 12, está em São Paulo, acompanhado da mãe, Juliana Pereira Gama, 37, lutando contra a síndrome nefrótica. O adolescente, que está na fila do transplante, teve o Tratamento Fora de Domicílio (TFD) suspenso pelo governo do Amazonas.

Isaque Emanuel Gama Oliveira, 12, está em São Paulo, lutando contra a síndrome nefrótica (Foto: Divulgação)

Segundo a mãe, Isaque foi diagnosticado quando tinha quatro anos. O adolescente foi para São Paulo por não ter atendimento adequado na capital, teve dificuldades em conseguir exames, remédios e até passe livre para se locomover. O benefício oferece a isenção tarifária para pessoas com deficiência ou patologias crônicas.

“Em questão aos recursos em Manaus, o Isaque nunca teve, até para conseguir os remédios eu tinha que dar o meu jeito, porque não tinha nos postos de saúde. A médica que acompanhava ele antes, não queria saber se tinha condições ou não para comprar, ela queria que eu desse os remédios”, explicou a Juliana.

Após receber encaminhamento para fazer o tratamento em São Paulo, Isaque e a mãe iniciaram uma nova batalha, a de obter recursos para se manter no estado. Para isso, contaram com ajuda de amigos do grupo de apoio “Mães Síndrome Nefrote Manaus”.

“A mãe dele foi pra São Paulo com R $0,34 na conta. Quando ela (Juliana) perguntou da assistente social do TFD se teria uma ajuda de custo, ela disse não, nós só vamos dar a passagem mesmo. Então enquanto ela estava voando, eu estava aqui ligando pra todo mundo, fazendo vaquinha pra ela ter dinheiro pro Uber e para alguns dias de hospedagem”, destacou a servidora pública, Cristiane Fridschtein.

O grupo de apoio foi criado pela própria Cristiane, que também tem um filho diagnosticado com doença renal crônica, o pequeno David. A família passou cinco anos em São Paulo para o tratamento do pequeno, até que recebesse o transplante.

Isaque está na fila de transplante e faz três diálises por semana. Com o benefício suspenso, o adolescente pode perder a vaga na fila da cirurgia. Eles ainda não receberam passagem para voltar e seguem aguardando resposta.

Em nota, a coordenação estadual do Tratamento Fora de Domicílio (TFD) esclarece que, na última sexta-feira (10), o laudo médico foi encaminhado pela mãe do paciente para o Complexo Regulador. “A comissão médica analisará o laudo e o resultado deve ser divulgado em até 7 dias úteis, após o envio do documento”, disse um trecho da nota.

Anúncio