Governo do AM não garante segurança e pede ajuda da população

A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) tenta reforçar o efetivo policial em Manaus retirando policiais de folga

Manaus – O governador Wilson Lima não garante segurança e pede ajuda da população para identificar os criminosos. A Secretaria de Segurança Pública do Amazonas(SSP-AM) tenta reforçar o efetivo policial em Manaus retirando policiais de folga, mas os ataques seguiram em vários pontos da capital neste domingo (06).

(Foto: Reprodução)

Em live, realizada na tarde deste domingo(06), a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) informou que policiais que estavam de folga foram acionados para realizar a segurança nas ruas. Mas, a SSP pediu apoio da população com informações, através do 188 ou 190, para que a polícia chegue até os criminosos.

Segundo o governador do Amazonas, Wilson Lima, os ataques que a cidade está sofrendo tem relação com as apreensões de drogas no Estado, mesmo com o anúncio geral da facção criminosa informando que é uma retaliação à morte de um traficante conhecido como ‘Dadinho’. Wilson Lima não mencionou nada relacionada ao criminoso.

Ainda pela manhã, a informação que os ataques seriam para vingar ‘Dadinho, foi confirmada em pelo Secretário de Segurança Pública do Amazonas, Louismar Bonates, durante uma coletiva de imprensa.

“Isso aí foi motivado em razão da morte de um traficante conhecido como Dadinho e a inteligência levantou que essa ordem veio de dentro do presídio. Eu quero informar que quem for localizado dando essa ordem, será solicitada a transferência”, disse o secretário.

Ainda durante a live transmitida pelos canais oficiais do Estado, Wilson Lima promete reação e anunciou a prisão de 14 pessoas, sendo 13 ligados aos atos de vandalismo que ocorreram em Manaus e nos municípios de Careiro Castanho e Parintins.

Em suas redes sociais, o senador Eduardo Braga (MDB) repudiou os atos de terror na capital. “Amanhecemos com cenas de terror no Amazonas. Meu total repúdio ao atos de vandalismo, sobretudo minha solidariedade aos trabalhadores e usuários do transporte público, também as famílias de bem, que por ventura testemunharam essas situações de barbárie. O sentimento é de total abandono por parte da gestão do Estado com o nosso povo.

Se já não bastasse toda a situação da Pandemia, agora nos vemos em mais uma situação de crise. É urgente um comando técnico, qualificado na segurança pública e valorização aos nossos policiais do Amazonas”.

O deputado federal Alberto Neto (Republicanos) afirmou que pediu a transferência de lideranças do crime à presídios federais. “Já entrei em contato com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, que já se encontra junto ao Gabinete de Crise da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas. O Ministério está à disposição do Estado para fazer as transferências dos líderes das facções para os presídios federais”, escreveu em suas redes sociais.

Para o deputado estadual Delegado Péricles (PSL) o caos está instalado na cidade e ele ainda criticou o governo do Estado por não oferecer os devidos serviços de inteligência. “Amanhecemos domingo com o caos instalado em nossa cidade. A falta de planejamento e de ações efetivas de inteligência faz com que o Estado seja apenas reativo a esses atos terroristas. Nossos policiais seguem firmes e combativos – a morte desse traficante é uma prova disso -, mas a combatividade precisa vir de cima também. É inadmissível que o estado não viabilize estrutura de inteligência efetiva pra que esses profissionais executem seu trabalho de maneira ainda mais efetiva. Há muito tempo a Secretaria de Inteligência está sem comando técnico para o exercício dessa importantíssima atividade. Que providências serão tomadas pra esse caos ter fim? Ou vão esperar os criminosos decidirem o momento de parar, como sempre acontece?!”, questionou.

O vereador Rodrigo Guedes (PSC) defendeu o envio da Força Nacional de Segurança à Manaus. “A gente precisa reagir e, se for necessário, o envio da Força Nacional de Segurança. Todo apoio neste momento é necessário para ajudar a população de Manaus. A população está com medo, não está saindo de casa com medo. O papel se inverteu porque população está acuada”, disse.

Anúncio