Governo do Amazonas tenta amordaçar Sindicato dos Médicos

Seguranças receberam ordens para expulsar a diretora do Simeam, Patrícia Sicchar, durante fiscalização sindical nos prontos-socorros 28 de Agosto e João Lúcio

Manaus – O Governo do Amazonas tentou impedir, mais uma vez, o Sindicato dos Médicos (Simeam) de fiscalizar as condições de trabalho dos profissionais de saúde nos prontos-socorros 28 de Agosto e João Lúcio, durante a pandemia de Covid-19.

Na noite desta sexta-feira (15), seguranças dessas unidade de saúde receberam ordens para expulsar a diretora do Simeam, médica Patrícia Sicchar, durante fiscalização sindical. A decisão pela vistoria aconteceu após o Simeam receber diversas denúncias de falta de equipamentos de proteção individual (EPI), insumos e condições precárias para o exercício profissional.

Seguranças do Hospital 28 de Agosto barraram fiscalização do Simeam (Foto: Yago Frota / Arquivo / GDC)

O presidente do Simeam, médico Mario Vianna, alertou que essa conduta autoritária dos representantes do governo representa uma tentativa desesperada de camuflar os graves erros da gestão pública e amordaçar o sindicato.

Em nota, o Simeam disse que “não irá se acovardar, pois apenas exerce a prerrogativa constitucional de defender os direitos e interesses coletivos ou individuais da categoria, inclusive em questões judiciais ou administrativas (artigo 8o, III, CF/88).”

Anúncio