Gustavo Sotero começa a ser ouvido no Fórum Ministro Henoch Reis

O julgamento sobre a morte do advogado Wilson Justo Filho deverá ser concluído até o final do dia de hoje

Manaus – O julgamento do delegado de polícia Gustavo de Castro Sotero chega ao seu terceiro e último dia, nesta sexta-feira (29), no Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, zona centro-sul. O réu está respondendo a um processo pela morte do advogado Wilson Justo Filho, morto a tiros em uma casa noturna, no dia 25 de novembro de 2017.

A previsão é que a oitiva do delegado dure cerca de 5h (Foto: Divulgação/Tjam)

O julgamento começou, por volta das 8h50, com o interrogatório do delegado. A previsão é que a oitiva do delegado dure cerca de 5h. Ainda nesta sexta-feira, serão realizados, também, os debates entre as partes, a quesitação e prolatação da sentença.

Nesta quinta-feira (28), a segunda sessão do julgamento encerrou por volta das 23h. No total, seis testemunhas e dois peritos, que fazem parte da assistência técnica de defesa e acusação, foram ouvidos.

No primeiro dia do julgamento, na quarta-feira (27), foram ouvidas oito pessoas, entre elas Fabíola Rodrigues Pinto de Oliveira (viúva de Wilson), Maurício Carvalho Rocha e Yuri José Paiva Dácio de Souza, que foram vítimas dos disparos que saíram da arma do delegado.

Além deles, testemunharam, também, o proprietário e o chefe da segurança da casa noturna, uma policial militar que atendeu a ocorrência no dia do crime, um policial civil que levou a arma usada pelo delegado para ser periciada. Um policial responsável por atender a uma ocorrência, em 2014, no qual o delegado se envolveu em um acidente de trânsito, também foi ouvido no julgamento.

Anúncio