Homem acusado de jogar filho no Rio Negro vai a júri popular nesta quarta-feira

O caso aconteceu em agosto de 2015, após uma briga entre Josias de Oliveira Alves e a mãe da criança

Manaus – O Conselho de Sentença da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus julgará, nesta quarta-feira (19), a Ação Penal nº 232563-53.2015.8.04.0001, que tem como réu Josias de Oliveira Alves, acusado de jogar o filho de, então, 4 meses, no Rio Negro. A criança morreu e o fato teria ocorrido após uma briga entre os pais da criança.

A sessão de julgamento popular será presidida pelo juiz titular da 1ª Vara do Tribunal do Júri, Celso Souza de Paula, e está programada para iniciar às 9h, no plenário principal do Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, zona sul.

A sessão de julgamento popular de Josias de Oliveira Alves (à esquerda) está programada para iniciar às 9h desta quarta (19), no Fórum Ministro Henoch Reis (Foto: Yago Frota/Divulgação)

Josias de Oliveira Alves terá em sua defesa o advogado Josemar Berçot Júnior, com o Ministério Público Estadual (MPE-AM) sendo representado pelo promotor de Justiça José Augusto Palheta Taveira Júnior.

A sessão contará com o depoimento de cinco testemunhas apontadas pelo Ministério Público e duas do Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus.

Josias de Oliveira Alves é acusado de jogar o filho de quatro meses, Pablo Pietro, no rio Negro, após uma briga com a mãe da criança, Cleudes Maria Batista, em agosto de 2015. O casal teria discutido por causa do pagamento de pensão alimentícia.

Acusação

Josias está sendo acusado de homicídio triplamente qualificado – pela morte da criança – nos termos do art. 121, 2º, I (motivo torpe); III (meio cruel); IV (recurso que impossibilitou a defesa da vítima), combinado com art. 61, II, ‘e’ (contra descendente) e ‘h’ (contra criança), do Código Penal Brasileiro.

O réu é acusado, também, por tentativa de homicídio quintuplamente qualificado – em relação à ex-companheira – tendo sido enquadrado no art. 121, 2º, I (motivo torpe); III (asfixia); IV (recursos que dificultou a defesa); VI (feminicídio); combinado com o art. 14, II, todos do Código Penal Brasileiro.

Anúncio