Hospital de campanha municipal utiliza dinâmicas de grupo no tratamento de pacientes

‘Grupo Terapêutico’ reúne pacientes de Covid-19 que são selecionados após terem suas condições pulmonares avaliadas

Manaus – Para aliviar a luta diária dos pacientes internados, o hospital de campanha municipal Gilberto Novaes, no Lago Azul, zona norte, lançou o ‘Grupo Terapêutico’, projeto que utiliza música e movimento como terapia humanizada da doença causada pelo novo coronavírus.

“Esse é o tipo de notícia que me enche de esperança e de forças, para lutar cada vez mais pelo nosso povo. Sempre passa pela minha cabeça e pelo meu coração, que visitei aquele lugar como uma grande obra que contribuiria para formar cidadãos conscientes e, agora, quando posso, vou lá e me deparo com um hospital, que não deixa nada a desejar a grandes hospitais da cidade, e que já recuperou quase 500 pessoas desse novo vírus, que provoca uma dura doença, mas que também pode ser combatida com solidariedade, leveza, companheirismo e música. Meus agradecimentos sinceros a todos os envolvidos em mais essa ação”, destaca o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto.

A equipe da Fisioterapia avalia as condições pulmonares gerais dos pacientes e supervisiona os exercícios, executando ações corretivas pontuais (Foto: Ingrid Anne/HCM/Divulgação)

Criado por fisioterapeutas e psicólogos da unidade – administrada pela Prefeitura de Manaus, em parceria com o grupo Samel e o instituto Transire –, o ‘Grupo Terapêutico’ está previsto para acontecer duas vezes na semana, com duração de uma hora e meia, reunindo pacientes selecionados após terem suas condições pulmonares avaliadas, que podem socializar durante este período em que o contato físico com familiares e amigos não é permitido.

Durante o primeiro encontro, que aconteceu na última semana, a música ‘O que é o que é’, do cantor e compositor Gonzaguinha, fez parte da trilha sonora da atividade. Segundo o coordenador do hospital, Ricardo Nicolau, existe uma preocupação de todos os parceiros, especialmente do prefeito Arthur Virgílio Neto – que acreditou no projeto, nas tecnologias e nos protocolos do grupo Samel, com apoio do instituto Transire – em promover um ambiente acolhedor para os que chegam à unidade em busca de tratamento contra a doença causada pelo novo coronavírus.

“Procuramos manter no hospital de campanha um tratamento humanizado. Iniciativas como essa melhoram sensivelmente não só o astral do nosso paciente como a oxigenação do sangue. A Covid-19 é uma doença dura, que requer o isolamento. Então, quanto mais atividade para levantar o astral do nosso paciente, melhor o prognóstico de cura dele”, pontua Ricardo Nicolau.

Metodologia

Para promover a segurança dos participantes durante a atividade e garantir o conforto dos envolvidos, a equipe da Fisioterapia avalia as condições pulmonares gerais dos pacientes e supervisiona os exercícios, executando ações corretivas pontuais. Os pacientes fazem uso da máscara facial e os profissionais de saúde acompanham a dinâmica – realizada em um espaço aberto da unidade – devidamente paramentados.

Um dos coordenadores da Fisioterapia no hospital, Moacir Carrion explica que, além de apreciarem as músicas, os pacientes podem expressar seus sentimentos a partir de atividades específicas organizadas pelos psicólogos e fisioterapeutas.

“Isso proporciona ao paciente uma oportunidade de poder sair do seu leito e ter mais autonomia na sua recuperação, bem como o aumento da capacidade respiratória. A Psicologia fica responsável por criar didáticas que incentivam a melhora mental, etapa fundamental da recuperação. Hormônios naturais, como serotonina, ocitocina e endorfina, são secretados durante essas atividades, trazendo grandes resultados para o tratamento”, destaca.

Psicólogo do hospital de campanha, Cláudio Ladys atua como um dos facilitadores do serviço, que utiliza dinâmicas de grupo associadas ao uso de músicas de caráter expressivo e lúdico. De acordo com ele, o serviço tem por objetivo atender às necessidades dos pacientes em novas formas de expressão. “A atividade permite o reforço de suas identidades, aumento da autoestima e expressão de sentimentos comuns do processo de internação hospitalar. Além disso, a dinâmica é aliada ao fomento de exercícios que ajudam na melhoria da resposta fisiológica ao tratamento contra a Covid-19”, afirma.

Estrutura

Inaugurado em 13 de abril pelo prefeito Arthur Virgílio Neto e com mais de 480 altas médicas, o hospital de campanha municipal conta com 180 leitos ativos, dos quais 39 destinados às Unidades de Terapia Intensiva (UTIs). Todos os leitos estão equipados com a cápsula ‘Vanessa’, tecnologia que permite a ventilação não invasiva de pacientes e evita a entubação orotraqueal precoce.

A estrutura do hospital conta, ainda, com um tomógrafo, raios X digital móvel e um laboratório de análises clínicas, que opera 24 horas.

Anúncio