Hospital lavava e reutilizava compressas cirúrgicas no interior do AM, aponta MP

Inspeção do Ministério Público identificou mais de dez irregularidades nas unidades de saúde de Urucará. Pacientes recebiam bolsas de sangue armazenadas inadequadamente

Manaus – Compressas cirúrgicas eram reutilizadas e pacientes de unidades de saúde de Urucará (a 261 quilômetros a leste de Manaus) recebiam bolsas de sangue armazenadas inadequadamente e sem de exames pré-transfusionais, segundo apontou o Ministério Público do Estado (MP-AM), na última sexta-feira (24). O material cirúrgico, usado para conter o sangramento nos pacientes, deve ser descartável. O MP informou que a Prefeitura e Governo do Estado serão acionados sobre as irregularidades identificadas.

Inspeção identificou que hospital no AM lavava e reutilizava compressas cirúrgicas (Foto: Divulgação/MP)

De acordo com o relatório, a situação acontecia no Hospital Regional e em cinco Unidades Básicas de Saúde da cidade. No Hospital Regional de Urucará, segundo constatou a promotora do Ministério Público no município, Márcia Cristina Oliveira, ainda estava sem incubadora.

Além do MP-AM, a inspeção, realizada na última quarta-feira (22), contou com técnicos dos Conselhos Regionais de Medicina, Enfermagem, Odontologia, Farmácia, Nutrição e da Fundação de Vigilância Sanitária, além da engenheira Luciana Carvalho, do Núcleo de Apoio Técnico do MP-AM. Mais de dez irregularidades foram encontradas.

De acordo com a promotora, a falta de equipamentos e materiais de suporte à vida no centro cirúrgico, urgência, emergência e ambulância, assim como incubadoras, além do número insuficiente de médicos e enfermeiros, ausência de farmacêutico e profissionais de nutrição foram identificadas nas unidades percorridas.

“Condições inadequadas de armazenamento de bolsas de sangue; falta de realização de exames pré-transfusionais; ausência de classificação de risco no atendimento de urgência e emergência; reaproveitamento de compressas cirúrgicas (material descartável); (…) defeito nos equipamentos da lavanderia hospitalar e uso de saneantes domésticos para a limpeza do hospital e roupa hospitalar”, acrescentou o órgão ministerial.

Na área dos medicamentos, conforme o CRF, são apenas três agentes administrativos, sem qualificação técnica para a função, que atuam na farmácia, fazendo plantão diurno e permanecendo de sobreaviso à noite. O Conselho Regional de Farmácia do Amazonas (CRF-AM) decidiu autuar o hospital, pelas condições de armazenamento dos medicamentos

blank

Mais de dez irregularidades foram encontradas nas unidades de saúde de Urucará (Foto: Divulgação/CRF)

“É uma farmácia bem pequena, não tem controle de estoque e nem da temperatura adequada, e sem medicamentos suficientes para atender a demanda. E lá não tem a atenção do farmacêutico para fazer a dispensação, a verificação do medicamento de controle especial, e fica tudo muito solto, sem organização”, analisou a fiscal farmacêutica do CRF-AM Inez Barancelli.

O hospital também está sem registro no Conselho e, por consequência, também não possui certidão de regularidade.

De acordo com a Promotora de Justiça Márcia Cristina de Lima Oliveira, após a apresentação dos relatórios de fiscalização, a Prefeitura do Município de Urucará e o Estado do Amazonas serão acionados pela Promotoria de Justiça para a solução das irregularidades.

A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou, por meio de nota, que não foi notificada sobre o resultado da inspeção. A nota da secretaria afirmou que, entre as medidas adotadas lê-la atual gestão, está a volta dos repasses para a saúde, que estavam suspensos e foram retomados a partir da assinatura de um Termo de Compromisso de Gestão (TCG) em que os municípios assumiram a gestão das unidades, tendo o Estado como co-partícipe.

Ainda conforme a Susam, Urucará, por exemplo, já recebeu, desde o TCG, R$ 884,6 mil em repasses via Fundo Estadual de Saúde; ganhou uma ambulância nova que deve ser entregue até o próximo final de semana (a maioria dos municípios já recebeu de uma a duas ambulâncias novas da atual gestão e todos serão contemplados até o fim deste mês).

***Matéria atualizada às 20h40, para acréscimo da nota da Susam.

Anúncio