Julgamento de ‘João Branco’ e de outros três réus pode se estender até sábado

O julgamento começou na manhã desta sexta-feira (13). Ele são julgados pela morte do delegado Oscar Cardoso Filho, da Polícia Civil (PC), ocorrida em 2014

Manaus – É possível que o julgamento dos réus envolvidos no caso do delegado Oscar Cardoso Filho se estenda até sábado (14). A previsão é do promotor do Ministério Público (MP), Edinaldo Medeiros, que atua no julgamento, que começou na manhã desta sexta-feira (13). “Como se trata de mais de um réu, creio que não vamos terminar o julgamento hoje (sexta-feira, 13)”, previu Medeiros.

O julgamento começou na manhã desta sexta-feira (Foto: Pablo Trindade)

Além de João Pinto Carioca, o ‘João Branco’, que é apontado como um dos principais líderes da organização criminosa Família do Norte (FDN), também estão entre os réus Marcos Roberto Miranda da Silva, o ‘Marcos Pará’, Diego Bruno de Souza Moldes e Messias Maia Sodré. Os homens são julgados pela morte do delegado da Polícia Civil (PC), ocorrida em 2014.

Até o fim da manhã desta sexta-feira, segundo o promotor de Justiça, estavam sendo ouvidas as testemunhas do Ministério Público do Estado do Amazonas. Medeiros recordou que ainda há as testemunhas da defesa. Em seguida, de acordo com o promotor, serão ouvidos os réus para, depois, ocorrer o debate.

O promotor apontou que são dedicadas duas horas para a defesa, outras duas para acusação, e cinco horas para o debate. “Desta maneira, eu entendo que dificilmente o julgamento terminará hoje”, disse Medeiros, acrescentando acreditar que o julgamento deve ser suspenso no fim da noite para retorno no sábado.

Conforme o Tribunal de Justiça do Estado do Amazonas (TJAM), 55 policiais estão no Fórum Ministro Henoch Reis, na zona centro-sul, por ocasião do julgamento, incluindo policiais militares, entre homens da Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam), além de seis agentes da Polícia Federal (PF) que trouxeram ‘Marcos Pará’ de presídio federal de de Mossoró, no Rio Grande de Norte.

Esta é a sexta tentativa de realizar o julgamento dos réus do caso do delegado Oscar Cardoso. Em agosto do ano passado, segundo Medeiros, o julgamento estava no segundo dia, mas foi suspenso após abandono da defesa dos réus. “Nós fizemos todo o processo, mas a defesa abandonou o plenário inesperadamente, injustificadamente. Por isso, foram multados. Esperamos que a gente possa concluir o julgamento como deve ser feito como a sociedade espera”, finalizou o promotor Edinaldo.

Anúncio