Julgamento de pai acusado de jogar o filho no rio Negro é suspenso

Nesta quarta-feira (19), foram ouvidos o réu Josias de Oliveira Alves e as testemunhas, estas por meio de áudios

Manaus – O primeiro dia de julgamento de Josias de Oliveira Alves, 35, acusado de jogar o próprio filho de 4 meses no rio Negro, foi suspenso por volta das 17h30 desta quarta-feira (19), pelo juiz do caso, Celso Souza de Paula. O julgamento é realizado pela 1ª Vara do Tribunal do Júri, no auditório do Fórum Ministro Henoch Reis, bairro São Francisco, zona sul da cidade.

O juiz Celso de Paula adiantou que, nesta quinta-feira (20), serão realizados os debates entre o Ministério Público e a defesa (Foto: Yago Frota/GDC)

Pela manhã foram reproduzidos três áudios de testemunhas que não puderam estar presentes no julgamento. Segundo o advogado de defesa do réu, Christian Souza, é sustentada a versão de homicídio doloso, quando não há intenção de matar.

“Quando analisamos o processo, os inquéritos policiais, laudos e depoimentos em juízo, chegamos a decisão de que o que aconteceu naquele dia foi um trágico acidente. Não foi culpa da dona Cleudes (mãe do bebê), nem do senhor Josias, daquela criança ter morrido. Nenhum dos dois tiveram a intenção de praticar aquele crime”, disse o advogado.

Pela parte da tarde foram ouvidos em júri os pais do bebê de 4 meses, a mãe Cleudes Maria, 26, e o réu. A sessão foi suspensa por volta das 17h30, após o depoimento de Josias, e deve retornar nesta quinta-feira (20), às 9h, quando serão realizados os debates e, por fim, declarada a sentença do réu.

De acordo com o juiz Celso de Paula, nesta quinta-feira serão realizados os debates entre o Ministério Público e a defesa.

“Então, hoje todas as testemunhas que prestaram depoimento e o acusado foram interrogados, por ambas as partes. A resposta dele serve para formar a convicção dos jurados sobre o que vão decidir amanhã”, declarou o juiz.

Anúncio