Magistrados discutem papel das corregedorias na atividade extrajudicial brasileira

Evento online foi mediado pela corregedora-geral de Justiça do Amazonas, desembargadora Nélia Caminha

Manaus – Com a temática “O papel das corregedorias na atividade extrajudicial brasileira”, a Escola Superior da Magistratura do Amazonas (ESMAM) promoveu nesta semana mais uma edição do projeto “TALKS ESMAM”. O evento online foi mediado pela corregedora-geral de Justiça do Amazonas, desembargadora Nélia Caminha e teve como conferencistas o juiz auxiliar da presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), Jorsenildo Dourado do Nascimento e o juiz do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJSP), Vitor Frederico Kümpel.

Tema do evento, a fiscalização ao segmento extrajudicial no Brasil é, em caráter geral e permanente, uma das atribuições das Corregedorias-gerais de Justiça, assim como de determinadas unidades judiciárias de primeira instância. No País, além desta fiscalização ordinária, as Corregedorias fiscalizam atos e atividades executados por delegações notariais e de registro, bem como realizam correições e editam normas direcionadas ao segmento.

(Foto: Divulgação)

No evento online, dentre questões debatidas foram abordados tópicos como: “Fiscalização e atuação em fase pré-processual”; “sanções disciplinares”; “fiscalização contínua contra possíveis irregularidades”; “atribuições do Conselho Nacional de Justiça e das Corregedorias estaduais na atividade extrajudicial brasileira”, dentre outros.

Mediando o evento online, a corregedora-geral de Justiça do Amazonas, desembargadora Nélia Caminha, destacou a iniciativa da Esmam por proporcionar a discussão sobre o tema e citou que os magistrados e servidores da Justiça Estadual que acompanharam a transmissão, obtiveram informações indispensáveis para o desenvolvimento de seus ofícios.

A conferência, na íntegra, com 1 hora de duração, está disponível para acesso no canal da Esmam na plataforma YouTube.

Anúncio