Mais de 165 mil no AM farão ‘novo’ Enem, neste domingo

Com menos concorrentes e provas divididas em dois domingos, Exame Nacional do Ensino Médio será disputado por mais de 165 mil candidatos no Amazonas. Portões fecham às 11h

Manaus – Mais de 165 mil pessoas, no Amazonas, estão inscritos para participar da edição deste ano do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 56 municípios do Estado. Em 2017, a prova estreia em novo formato, com aplicação dividida em dois domingos consecutivos, hoje (5) e no dia 12. Ao todo, 1.725 municípios brasileiros receberão o exame que tem o total de 6,7 milhões de inscritos em todo País.

Em Manaus, mais de 120 mil pessoas estão inscritas para a prova do Enem (Foto: Jair Araújo/Arquivo)

Neste ano, a redação passará a ser aplicada no primeiro dia do exame, neste domingo, juntamente com as provas de Linguagens, Códigos e sua Tecnologia e Ciências Humanas e suas Tecnologias, com duração máxima de cinco horas e 30 minutos. No domingo seguinte, dia 12, será a vez dos participantes responderem a questões de Ciência da Natureza e suas Tecnologias e Matemática e suas Tecnologias, com duração máxima de quatro horas e 30 minutos.

Pela primeira vez, a prova será personalizada com o nome e o número de inscrição do participante. O local e o endereço da prova podem ser consultados pelo aplicativo do Enem e pelo site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Atenção para os horários. Em Manaus, os portões abrem as 10h e fecham as 11h. O início da prova está previsto para 11h30 e o término às 17h. Para a prova, os únicos tipos de canetas permitidas são as de corpo transparente e tinta preta.

É obrigatória a apresentação de um documento oficial com foto, que pode ser carteira de identidade, passaporte, carteira de motorista, carteira de trabalho ou carteira de reservista; não serão aceitas cópias autenticadas. Caso o candidato tenha a documentação furtada ou roubada antes da prova, poderá apresentar um Boletim de Ocorrência registrado em até 90 dias.

Os participantes que precisarem de atestado de comparecimento deverão imprimir a declaração no site do exame e colher a assinatura do coordenador do local.

Eliminação

O edital prevê a eliminação de candidatos que portarem alguns materiais específicos durante a aplicação do exame. No local de prova, os objetos proibidos devem ser guardados em um envelope porta-objeto, que poderá ficar embaixo da cadeira do participante. É vedado o uso de: caneta não transparente, lápis, borracha e lapiseira; boné, chapéu, gorro e outros acessórios de chapelaria; celular, tablet, pen drive, calculadora e outros tipos de equipamentos eletrônicos; fone de ouvido; óculos escuros.

Inscrições

Neste ano, o número de inscritos, no Amazonas, é 14% menor que o de 2016, quando participaram 194.160 pessoas. A queda segue o desempenho do País em relação à edição anterior.

De acordo com os dados do Inep, são 6,7 milhões de inscritos no País, contra 8,6 milhões do ano passado, uma queda que tem relação com os que vão deixar de fazer a prova como certificação do Ensino Médio, que voltou a ser concedida por meio do Exame Nacional para Certificação de Competências de Jovens e Adultos (Encceja).

Prova de redação exige cinco competências

Uma das etapas mais difíceis, para alguns candidatos do Exame Nacional do Ensino Médico, é a redação, que será realizada já no primeiro dia da prova, neste domingo. E, para quem ainda tem dúvidas ou não se sente seguro, a professora de Língua Portuguesa Erika Calheiro dá dicas de como ir bem na prova.

Erika é formada em Língua Portuguesa, pela Universidade Federal do Amazonas (Ufam), com pós-graduação em Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa, pela Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e ministrou o ‘Aulão de Redação’ da União Municipal dos Estudantes Secundaristas (Umes). Ela afirma que os candidatos devem focar nas competências exigidas no Enem. “O Enem trabalha em cima de cinco competências. Tem que focar nessas competências e trabalhar elas”, disse.

De acordo com o manual de redação do Enem 2017, as cinco competências exigidas na prova são: demonstrar domínio da modalidade escrita formal da língua portuguesa; compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo em prosa; selecionar, relacionar, organizar e interpretar informações, fatos, opiniões e argumentos em defesa de um ponto de vista; demonstrar conhecimento dos mecanismos linguísticos necessários para a construção da argumentação; e elaborar proposta de intervenção para o problema abordado, respeitando os direitos humanos.

“Os alunos não devem esquecer a proposta de intervenção, isso é muito importante. Muitos candidatos esquecem de fazer essa proposta, ela é solução para a problemática do tema. Essa solução tem que apresentar quem, como e onde fazer, e, quanto mais agente, melhor”, explicou a professora.

Anúncio
Anúncio