Mais de 300 mil crianças devem ser vacinadas contra sarampo e pólio, no AM

Amazonas e Roraima são as únicas localidades que iniciam a vacinação contra o sarampo a partir dos 6 meses, no restante do País a 1ª dose é aplicada com um ano de idade

Manaus – Mais de 300 mil crianças precisam tomar a vacina tríplice viral (sarampo, caxumba, rubéola) e também a que imuniza contra a poliomielite, no Estado. Amazonas e Roraima são as únicas localidades que iniciam a vacinação contra o sarampo a partir dos 6 meses, no restante do País a 1ª dose é aplicada com um ano de idade. A Campanha Nacional de Vacinação começa na próxima segunda-feira (6)  e o dia D nacional para a imunização de crianças de até 5 anos está marcado para 18 de agosto.

Fiocruz promove hoje (08), campanha de vacinação contra sarampo e paralisia infantil. Além da vacinação há diversas atividades educativas promovidas pela instituição. (Tomaz Silva/Agência Brasil)

Nesta fase da campanha somente os adultos não serão vacinados, segundo o Ministério da Saúde (MS). O Amazonas tem uma das cinco mortes registradas no País, de uma criança de 7 meses, idade abaixo do que recomenda o Ministério da Saúde para imunização.

Na capital, a cada 100 mil habitantes, 391,5 casos confirmados ocorreram em crianças menores de um ano, conforme dados da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa). No total, 11,2 milhões de crianças devem ser vacinadas no Brasil, até o dia 31 de agosto.

“Neste momento a prioridade é vacinar as crianças, que são as que têm mais riscos de adoecer e vir a óbito. Faremos a correção da cobertura vacinal em adultos com intensificação a partir de setembro”, garantiu a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações do MS, Carla Domingues.

Devido ao surto, segundo Domingues, nos dois Estados a vacinação foi antecipada como medida de bloqueio da circulação do vírus. Em Manaus, aconteceu em abril e o público vacinado foi de 6 meses a 29 anos de idade. Na capital amazonense, 562 pacientes receberam resultado positivo para a doença. Já em Roraima onde 260 casos foram confirmados, a campanha iniciou em março e envolveu pessoas de 6 meses a 49 anos.

Para o Amazonas, 770.820 doses foram encaminhadas pelo Ministério da Saúde (MS) para a Campanha Nacional de Vacinação, sendo 365.900 para tríplice e 404.920 para poliomielite, doença que causa paralisia infantil irreversível em menos de três dias, conforme explicou a coordenadora.

Para imunização completa, a criança precisa tomar as duas doses da vacina contra o Sarampo, mas a cobertura vacinal no Amazonas mostrou que somente 61% do público-alvo está livre da doença, segundo o MS. Já na capital, a pré-campanha contra o sarampo está avançando em todas as zonas. A Região Norte passou a ser, com 88,38%, a que possui menor cobertura em Manaus.

“Durante a campanha de antecipação da vacina do Sarampo, Manaus já está em torno de 85%, já tem bairro que está em 95%. Mas a cobertura precisa ser homogênea em todos os bairros. É necessário que todos bairros atinjam a cobertura de 95%”, alertou a coordenadora.

Para evitar que a doença continue se espalhando, o Ministério da Saúde providenciou uma barreira sanitária na fronteira com a Venezuela. De acordo com Domingues, todos os estrangeiros que cruzam a Pacaraima são vacinados. O sinal vermelho para pólio também foi ligado após uma suspeita – já descartada – de um caso de paralisia infantil na Venezuela. Apenas 65% das crianças amazonenses estavam protegidas contra a poliomielite, conforme dados do MS.

Afeganistão, Paquistão e Nigéria, ainda tem situação endêmica da poliomielite, e por causa da facilidade da mobilidade dos turistas, a doença ainda pode voltar às terras brasileiras, segundo explicou a representante do Ministério da Saúde.

“Tivemos um susto, um caso de pólio na Venezuela. Os países com mais de 30 anos sem a doença estão relaxando na cobertura. E a paralisia é uma doença que você vai dormir sem nenhum sintoma, no final da tarde tem febre e no dia seguinte amanhece sem o movimento das pernas. Com sequelas irreversíveis para toda a vida. Não podemos relaxar na cobertura da vacinação das nossas crianças”, alertou.

Xuxa, Zé Gotinha, Galinha Pintadinha e Just Dance

Para mobilizar a população, o Ministério da Saúde conta, neste ano, com o apoio da Xuxa. Não é a primeira vez que ela é madrinha de uma campanha de vacinação do MS. Nos anos 1980, Xuxa também estrelou uma campanha de vacinação que bateu recordes e foi reconhecida até pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Xuxa e o Zé Gotinha contarão com o apoio da Galinha Pintadinha e dançarinos do game Just Dance. As peças para TV, rádio, impressos e redes sociais, serão exibidas de 1º a 31 de agosto. O filme, gravado em 3D, faz uma viagem ao passado, nas décadas de 80/90, quando nasceu o Zé Gotinha e também quando o Brasil assumiu o compromisso de eliminar o sarampo e a poliomielite.

Anúncio