Mais de 400 mil doses aplicadas em Manaus

Deste total, 297.853 são primeiras doses e 104.476 são segundas doses dos dois imunizantes recebidos, até agora, pela Semsa, CoronaVac e AstraZeneca, segundo o sistema Imuniza Manaus

Manaus – Mesmo que a demora para receber a imunização dure até duas horas em alguns postos de Manaus, a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa) alcançou, no início da tarde desta terça-feira (20), a marca de 402 mil doses de vacinas aplicadas em pessoas dos grupos prioritários definidos pelo Ministério da Saúde (MS), no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19. Deste total, 297.853 são primeiras doses e 104.476 são segundas doses dos dois imunizantes recebidos, até agora, pelo município, CoronaVac/Butantan e AstraZeneca/Oxford.

O prefeito de Manaus, David Almeida, atribuiu esses resultados ao empenho e dedicação das pessoas envolvidas na operacionalização da campanha. “Esses números são resultado do trabalho integrado de servidores públicos do município, que há três meses não medem esforços para assegurar a vacinação das pessoas que fazem parte dos grupos mais vulneráveis a essa doença em Manaus. Temos pontos de vacinação em todas as zonas da cidade. Também as pessoas que moram nas comunidades ribeirinhas e rodoviárias estão recebendo a imunização. Nosso objetivo é alcançar o maior número possível de pessoas. Para isso, à medida em que chegam mais doses, vamos avançando na campanha”, afirmou.

Em três meses de campanha, com a primeira dose, a Semsa, já conseguiu ultrapassar a meta estabelecida pelo MS em cinco, dos seis grupos prioritários, sendo 100,8% dos trabalhadores da saúde; 96,1% dos idosos com 80 anos e mais; 92,1% dos idosos de 75 a 79 anos; 93,4% dos idosos de 70 a 74 anos; e 92,6% dos idosos de 65 a 69 anos. Apenas no grupo de idosos de 60 a 64 anos a meta de 90% ainda não foi atingida, estando com 88,4% do total do grupo já com a primeira dose aplicada.

Cerca de 402 mil doses de vacina contra a Covid-19 já foram aplicadas em Manaus (Foto: Valdo Leão / Semcom)

Pontos estratégicos

A secretária municipal de Saúde, Shádia Fraxe, explicou que para garantir que o processo de vacinação seja ágil e seguro, tanto para os profissionais de saúde quanto para o público-alvo, a Semsa utiliza duas modalidades de atendimentos em sete pontos distribuídos pelos quatro distritos de saúde da área, sendo drive-thru e posto fixo. “Trabalhamos com uma média de 140 estações de vacinação nesses sete pontos. São mais de mil pessoas envolvidas direta e indiretamente, para possibilitar que as pessoas recebam a vacina. Já são 90 dias de campanha e enquanto houver doses e público a ser vacinado, nossas equipes estarão a postos”, garantiu a secretária.

Desde segunda-feira (19), a Semsa está vacinando com a primeira dose pessoas da faixa etária de 35 a 54 anos com as comorbidades definidas no Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19, seguindo o calendário de idades por data. Também estão sendo vacinados, com a segunda dose, idosos de 60 a 63 anos com a segunda dose da CoronaVac e pessoas com diabetes, cardiopatias e obesidade, e idosos que receberam a primeira dose de AstraZeneca/Oxford entre os dias 29 de janeiro e 3 de fevereiro. Para saber dia, local e horário para ser vacinado é necessário consultar a plataforma Imuniza Manaus.

DPE cobra sobre falta de vacinas para trabalhadores da saúde

O Núcleo de Defesa da Saúde (Nudesa) da Defensoria Pública do Estado do Amazonas (DPE-AM) encaminhou ofício à Secretaria Municipal de Saúde de Manaus (Semsa) cobrando explicações sobre casos de trabalhadores da área da saúde que, até o momento, não conseguiram a aplicação da primeira dose da vacina contra a Covid-19.

A medida foi motivada por denúncias que chegaram à Defensoria relatando a falta de vacina em estoque. Os profissionais da saúde estão entre os primeiros da fila de grupos prioritários da vacinação. A Semsa tem cinco dias para responder ao ofício, que é uma determinação legal, conforme previsto na Lei Complementar Federal 80/1994 e na Lei Complementar Estadual 01/1990. O descumprimento da determinação é passível de punição penal com detenção, de quinze dias a seis meses, e multa.

No ofício, assinado pelo coordenador do Nudesa, defensor público Arlindo Gonçalves, a Defensoria requer que a Semsa informe a quantidade de vacinas destinadas aos trabalhadores da área da saúde e quantas foram efetivamente aplicadas, distinguindo a 1ª e a 2ª doses, especificadas por tipo de vacina.

*Matéria atualizada a 01h18 de 21 de abril de 2021.