Mais de dois meses após fuga de presos, SSP promete acelerar investigações

Na tarde desta terça-feira (24), a Secretaria de Segurança Pública do Estado anunciou uma operação, coordenada por 34 delegados, para frear a onda de homicídios que incluíram esquartejamento e decapitações

Manaus – Mais de dois meses após a fuga de detentos que intensificou uma guerra entre facções criminosas em Manaus, as autoridades de segurança do Amazonas prometeram “acelerar a elucidação de homicídios” ligados a essa guerra. Na tarde desta terça-feira (24), a Secretaria de Segurança Pública do Estado (SSP-AM) anunciou uma operação, coordenada por 34 delegados, para frear a onda de homicídios que incluíram esquartejamento e decapitações.

A operação inclui os delegados com equipes investigando todas as zonas da capital. “A questão é briga por território de tráfico e a ordem é brecar esses homicídios que começaram a assolar a cidade de Manaus”, prometeu o coronel da Polícia Militar Anézio Paiva, secretário da SSP-AM. Foram 17 pessoas mortas, por esquartejamento, decapitação, tiros ou facadas entre sexta-feira (20) e domingo (22).

A ação também é voltada para frear as mortes violentas registradas durante o mês de junho. De janeiro até junho deste ano, a SSP-AM registrou 436 mortes violentas, sendo 404 com características de execução. Conforme a secretaria, 58% dos homicídios são motivados, inicialmente, por tráfico de drogas. Das vítimas, 94,2% são homens.

Seis homens estão sendo apontados pela SSP-AM como mandantes desses homicídios. De acordo com Paiva, mandados de prisão devem ser solicitados para Kaio Wellington Cardoso dos Santos, 25, o ‘Mano Kaio’, Alexsandro Oliveira dos Santos, 29, o ‘Sandrinho’, Alexandre Alves da Silva, 23, o ‘Cagão’, Johnson Alves Barbosa, 30, o ‘Playboy’, Bruno de Souza Carvalho, 31, o ‘Bruno Fiel’, e Adalberto Salomão Guedes da Silva, 28, o ‘Salomão’.

Dos homicidas identificados, Kaio, Alexsandro, Alexandre, Johnson e Adalberto são foragidos do Centro de Detenção Provisória de Manaus 2 (CDPM 2). A fuga foi registrada no dia 12 de maio e 35 detentos fugiram da prisão. Conforme a Secretaria do Estado de Administração Penitenciária (Seap-AM), apenas oito detentos foram recapturados até esta terça-feira (24).

‘Mano Kaio’ é um dos líderes da facção criminosa Comando Vermelho (CV). Da última vez que foi preso, no dia 18 de agosto de 2017, no Rio de Janeiro, ele disse à Polícia Civil do Amazonas que estava planejando novos ataques em Manaus com ordem para “sair matando todo mundo, sem deixar testemunha”.

Segundo o delegado-geral da Polícia Civil do Amazonas, apesar do deslocamento dos 34 delegados, coordenando a operação, o expediente das delegacias de polícia segue normalmente na capital. “Acontecem essas disputas por território de tráfico de drogas em todos os bairros. Que a população fique tranquila, porque estamos fazendo um trabalho forte”, afirmou Brito.

Recompensa em dinheiro

A SSP-AM prometeu recompensa em dinheiro para quem passar informações que levem à prisão de qualquer um dos procurados. Denúncias devem ser feitas ao Disque-Denúncia da secretaria (181) e a secretaria informou que o sigilo do denunciante será mantido.

Ficha criminal

Levantamento da Secretaria-Executiva-Adjunta de Inteligência (Seai), órgão da SSP-AM, aponta que, juntos, os procurados pelos homicídios respondem por 85 processos em andamento na Justiça do Amazonas por crimes como tráfico de drogas, roubos, organização criminosa e homicídios.

‘Mano Kaio’ responde a 13 processos na Justiça por homicídio, tráfico de drogas, associação criminosa, roubo e roubo majorado. ‘Playboy’ tem 22 processos em curso e já foi preso por posse irregular de arma de fogo, tráfico de drogas e homicídio. Sandrinho, que responde a 13 processos, já foi preso por roubo, tráfico de drogas, associação criminosa e homicídios.

Já ‘Bruno Fiel’, que possui 15 processos na Justiça, foi preso por tráfico de drogas, associação para o tráfico e homicídio. ‘Cagão’ tem nove processos em trâmite na Justiça e já foi preso por tráfico, homicídio e associação para o tráfico. ‘Salomão’ tem 14 processos em andamento e já foi preso por homicídio, tráfico, roubo, porte de arma de fogo e uso de documento falso.

Anúncio