Manaus Ambiental muda nome e promete combater desvio de água

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) afirma que existem cerca de 50 mil ‘gatos’ na rede de água da cidade

Manaus – A empresa Manaus Ambiental agora se chama Águas de Manaus. O novo nome da concessionária de água foi anunciado nesta segunda-feira (26), quando a empresa Aegea apresentou, ainda, a meta que prevê a entrega de 80% do sistema de coleta e tratamento esgoto da capital, nos próximos 12 anos. Atualmente, a cidade conta com apenas 19%, segundo a empresa. Entre as metas da empresa estão a redução do desperdício e do desvio do serviço que, já que em Manaus a estimativa é 50 mil gatos de água.

diretor-presidente, da Águas de Manaus, Renato Medicis, em coletiva de imprensa nesta segunda-feira (Foto: Sandro Pereira)

Para o próximo ano, a empresa afirma que vai investir R$ 160 milhões na rede de água e esgoto da capital amazonense. De acordo com o diretor-presidente, da Águas de Manaus, Renato Medicis, a ampliação vai aumentar em cinco vezes a capacidade de coleta e tratamento até 2030.

A nova empresa atua desde junho em Manaus, após a nova concessionária ter comprado a Manaus Ambiental e quer, com a mudança no nome da empresa, marcar segundo Medicis, uma nova fase no atendimento à população.

Desde que assumiu, há 150 dias, a Águas de Manaus recebeu, em média, diariamente 50 reclamações sobre vazamentos, manutenção de esgoto, ligações e pedidos de expansão da rede de abastecimento. Ao longo dos primeiros cinco meses de gestão, foram cerca de 7,5 mil solicitações deste tipo de serviço, conforme os dados informados à imprensa em coletiva realizada na manhã desta segunda-feira, no hotel Blue Tree, no Adrianópolis, zona centro-sul de Manaus.

Fábio Alho diretor-presidente da Ageman (Foto: Sandro Pereira)

50 mil gatos de água em Manaus

Entre os problemas com prioridade na nova gestão Medicis citou a redução do desperdício. Segundo ele, o percentual alcança 40% de toda a água que é coletada no Rio Negro. Na avaliação dele, as ligações irregulares e o mau uso são os principais responsáveis pela perda.

A Agência Reguladora dos Serviços Públicos Delegados do Município de Manaus (Ageman) afirmou que existem cerca de 50 mil ‘gatos’ na rede de água da cidade. Mas o desperdício é ainda maior. Segundo o órgão, mais da metade da água coletada e tratada (60%), de acordo com o diretor-presidente.

Anúncio