Manaus tem 50% dos ônibus circulando, frota comum para domingos, diz Sinetram

Neste domingo, após cinco dias de greve dos rodoviários, a capital já amanheceu com cerca de 600 ônibus operando. Categorias seguem sem negociação

Manaus – O transporte público roda com frota de 50%, neste domingo (3), em Manaus, segundo informou o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram). Mesmo ainda sem acordo entre rodoviários e representantes das empresas, há 600 ônibus circulando, frota comum para domingos na capital. Os rodoviários prometem retorno da greve para segunda-feira (4).

Manaus tem 50% dos ônibus circulando, frota comum para domingos (Foto: Eraldo Lopes)

Os ônibus voltaram a circular, em Manaus, após cinco dias de greve dos rodoviários. Não há previsão de próxima reunião para negociação.

Rodoviários e os representantes das empresas de ônibus se reuniram no último dia 1º para encerrar a greve, mas não houve acordo. No entanto, houve uma tentativa de avanço econômico: as partes buscaram acordar reajuste de 3,5% para 2017/2018 e 1,69% para 2018/2019.

Conforme o Sinetram, com a proposta, o salário do rodoviário, mais os benefícios, poderia chegar a R$ 3.225,73, o terceiro maior salário do país, atrás de Porto Alegre e São Paulo.

Leia também: Arthur descarta conceder aumento da tarifa de ônibus com pressão da greve

A proposta é referente à remuneração de motoristas, mecânicos, cobradores e outras funções desempenhadas nas empresas, como os que trabalham no setor de Recursos Humanos (RH).

A reunião ocorreu entre o sindicato patronal e o dos trabalhadores e foi registrada em ata da Procuradoria Regional do Trabalho – 11ª Região. Na reunião, os rodoviários também reivindicaram abono dos dias paralisados pela greve e, segundo o Sinetram, a retirada da multa de mais de R$ 20 milhões.

Conforme o sindicato patronal, a penalidade é devido ao descumprimento de liminares do Tribunal Regional do Trabalho (TRT), sobre ilegalidade de greve, que aguardam determinação judicial. No entanto, não houve acordo entre rodoviários e empresários, devido a essa exigência e o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários de Manaus (STTRM) apontou que a paralisação de 70% da frota deve continuar na segunda-feira (4).

O STTRM apontou que as empresas retiveram os ônibus nas garagens por medo de depredação nas últimas quinta-feira (31) e sexta-feira (1º). Nesses dias, houve paralisação de 100% da frota de ônibus em Manaus. O Sinetram não confirmou a retenção dos veículos.

Governos municipal e estadual

O prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, esteve reunido, neste sábado (2), com o governador em exercício, desembargador Flávio Pascarelli, para falar sobre o movimento paredista dos rodoviários. Ambos discutiram sobre a atuação dos órgãos públicos para estabilização do transporte público na capital. Pascarelli garantiu amplo apoio no que for necessário para que não haja mais prejuízo aos usuários de ônibus.

Segundo o governador em exercício, Flávio Pascarelli, é interesse comum do município e do estado que a cidade seja mantida na mais absoluta ordem, garantindo a integridade da população, dos prédios públicos e o direito de locomoção das pessoas.

Com o reforço policial e do serviço de inteligência do governo do estado, a expectativa do prefeito Arthur Virgílio Neto é acabar com o prejuízo aos usuários, imposto pelo descumprimento das medidas judiciais que determinam funcionamento mínimo durante a greve.

Anúncio