Mais um ato pede que ALE vote impeachment

Os manifestantes começaram o ato na Ponta Negra com faixas e bandeiras pedindo impeachment do governador e seguiram para a sede do governo e depois para a Assembleia Legislativa

Manaus – Na manhã deste domingo (21), várias pessoas se concentraram no Complexo Turístico Ponta Negra, para realizar uma carreata a favor do impeachment do governador do Amazonas, Wilson de Miranda Lima. Cerca de 100 carros estiveram presentes.

(Foto: Natasha Pinto / GDC)

A rota escolhida pelos manifestantes, que alegam ser apartidários, saiu da Ponta Negra, passando em frente a sede do Governo do Amazonas, na Avenida Brasil e terminou em frente a sede da Assembleia Legislativa do Amazonas (ALE-AM), na avenida Mário Ypiranga.

Segundo um dos coordenadores da carreata, Jean Batista, o descaso do governo com o povo no período dos ápices da primeira e segunda onda, comprovam a sua incapacidade de permanecer no cargo.

“Foi comprovado que ele superfaturou a compra de respiradores e depois a falta da oxigênio no nosso Estado. O povo sofre com ele a frente. Nós queremos que a ALE-AM, aprove o pedido de impeachment, para que vá a votação, pedimos ao presidente Roberto Cidade, receba o pedido!”, exclamou.

blank

(Foto: Natasha Pinto / GDC)

Carros da Polícia Militar do Amazonas estavam estacionados em frente a sede do Governo do Amazonas, aguardando a passagem dos manifestantes, que utilizaram as buzinas e gritos de “Fora Wilson Lima”, para expressar a insatisfação.

blank

Polícia resguarda sede do Governo durante protesto (Foto: Natasha Pinto / GDC)

blank

Sede do Governo do Amazonas, bairro Compensa, zona oeste de Manaus (Foto: Natasha Pinto / GDC)

O policiamento também foi reforçado em frente da sede da Assembleia Legislativa do Amazonas(ALE), onde um cordão de viaturas foi montado para impedir que os manifestantes ficassem em frente da casa legislativa.

blank

Polícia Militar na sede da Assembléia Legislativa do Amazonas – ALE (Foto: Natasha Pinto / GDC)

Um dos autores do pedido de impeachment, o advogado Marco Vicenzo, veio de Brasília para Manaus, para participar da manifestação. Segundo ele, é claro os crimes de improbabilidade cometidos pelo governador e que era impossível, não se solidarizar com o povo do Amazonas.

“O que me motivou a fazer o pedido de impeachment, foi ver que a justiça estava sendo feita em outros Estados e aqui não. Essa manifestação foi a maneira que o povo encontrou para dar um basta, que foi a gota d’água. Me sinto honrado em estar ajudando e apoiando os amazonenses, assim como o restante do Brasil, que acompanhou a calamidade que esse Estado viveu”.