Ministério orienta os pais sobre segurança de menores na web

Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos divulgou uma série de dicas aos pais como criar senhas fortes, ativar autenticação de dois fatores, instalar antivírus e cuidado com anúncios

Manaus – A proteção de crianças e adolescentes na internet é tema de políticas públicas promovidas pelo Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Para fortalecer as ações de segurança, na última semana, o órgão divulgou dicas sobre o uso de redes sociais compartilhadas pelas ferramentas mais populares no país, como Facebook e Twitter.

Com idade mínima de 13 anos para ser usuário, o Facebook possui uma central de segurança com portais específicos para mães, pais e jovens, além de ações de segurança, ferramentas e central de ajuda.

No que se refere aos pais e responsáveis, as orientações envolvem o diálogo sobre tecnologia e a definição de que as mesmas regras se aplicam online e offline. Também são encontrados recursos de prevenção ao bullying e para conversas com especialistas.

“Assim como ocorre com as atividades offline, é fundamental estabelecer uma base para o diálogo com os filhos em relação ao que acontece online e se envolver o mais cedo possível. Converse com eles sobre tecnologia antes de eles começarem a utilizar as redes sociais. Se seu filho está no Facebook, considere fazer amizade com ele”, orientou a plataforma online.

Ação de crianças navegarem pela internet precisa ser acompanhada (Foto: Divulgação / Agência Brasil)

Usar senhas fortes e denunciar conteúdos impróprios integram a lista de recomendações. “Praticamente todas as publicações do Facebook incluem um link que permite denunciar abuso, bullying, assédio e outros problemas. Nossas equipes globais trabalham 24h por dia, 7 dias por semana para analisar o que você denuncia e remover tudo o que viola nossos Padrões da Comunidade. A maioria dos relatórios é analisada em 24h”, completou a rede social.

Twitter

O Twitter destaca um conceito básico. “Cidadania digital é como nos comportamos e interagimos no ambiente online. O modo como nos comportamos determina como os outros nos percebem. O mundo digital é como o real, o que significa que também temos direitos e responsabilidades no ambiente online”, afirmou.

Entre as orientações voltadas para crianças e adolescentes estão: “Não divulgue detalhes pessoais – como sua idade, onde você mora ou estuda – e nem publique esses detalhes online”. Outra dica é: “Lembre-se sempre de que você não sabe quem pode estar por trás da outra conta”.

Nessa rede social, há ainda o rastreamento de idade, que adequa os anúncios publicitários. Assim, os anunciantes e produtores de conteúdo inadequado para menores de 18 anos – por exemplo, bebidas alcoólicas – podem anunciar com mais facilidade.

Criar senhas fortes, ativar a autenticação de dois fatores, instalar antivírus e ter cuidado com anúncios fraudulentos integram os conselhos voltados aos pais.

Anúncio