Mortes no trânsito reduzem mais de 20% nos quatro primeiros meses deste ano

Além da queda no número de acidentes com vítimas fatais, o índice de acidentes com vítimas lesionadas também apresentou uma queda de 57,92%, comparado ao ano anterior

Manaus – Sessenta acidentes com vítimas fatais já foram registrados até o mês de abril, na capital, segundo dados do Departamento Estadual de Trânsito do Amazonas (Detran-AM). Apesar do número expressivo, as ocorrências com vítimas fatais apresentaram uma queda de 21,05%, em comparação com o ano interior, quando foram registradas 76 mortes até abril.

De acordo com o Manaustrans, o maior índice de acidentes com vítimas fatais é com motocicletas, devido a própria fragilidade do veículo. (Foto: Reinaldo Okita)

Além da queda no número de acidentes com vítimas fatais, o índice de acidentes com vítimas lesionadas também apresentou uma queda de 57,92%, comparado ao ano anterior. Em 2017, foram registrados 4.713 acidentes com vítimas lesionadas, até o mês de abril, enquanto que em 2018 foram registrados 1.983 acidentes no mesmo período.

Segundo o diretor técnico do Detran-AM, Rodrigo de Sá, as principais causas dos acidentes de trânsito ainda são por ingestão de bebidas alcóolicas, excesso de velocidade e a falta do uso de equipamentos de segurança, como o cinto de segurança.

“É atestado, inclusive, pela ONU, que cerca de 90% dos acidentes são causados por falha humana. Então, isso decorre de imprudência, imperícia, negligência, a falta do que a gente chama do dever de cuidar do objetivo, e de um pouquinho de consciência do condutor para entender que aquele veículo automotor, quando usado indevidamente, pode se transformar em uma verdadeira arma, podendo ceifar vidas”, afirmou o diretor técnico.

Para Rodrigo de Sá, a redução do número de acidentes é reflexo do aumento das fiscalizações realizadas pelo órgão. Ele acredita que com fiscalizações, educação de trânsito e promoção de políticas públicas, esse índice pode diminuir ainda mais.

“Nós continuamos intensificando as fiscalizações e acreditamos que, de uma maneira imediata, vamos reduzir esse índice. Com educação de trânsito, promovendo políticas públicas e conscientizando os condutores, vamos conseguir reduzir ainda mais esse número para o ano que vem”, pontuou.

O diretor de fiscalização do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans), Sandro Moacir, também afirmou que a causa dos acidentes é a embriaguez, além da distância mínima de segurança entre os veículos.

“Quando o usuário dirige com velocidade incompatível, tanto em piso molhado como em vias onde a visibilidade não está muito adequada, durante a noite ou madrugada, e não atenta para as condições da via, com relação à distância dos outros veículos, normalmente isso ocasiona acidentes, tanto com danos materiais como com vítimas lesionadas e fatais”, explicou.

Ainda segundo Moacir, o maior índice de acidentes com vítimas fatais é com motocicletas, devido a própria fragilidade do veículo. Os veículos de quatro rodas são os que mais se envolvem em acidentes com danos materiais. As vias consideradas com maiores índices de acidentes são as avenidas Autaz Mirim, Torquato Tapajós e Estrada da Ponta Negra.

“O maior número de registro de acidentes com danos materiais ocorre durante o dia. Os acidentes com vítimas fatais e lesionadas acontecem, eventualmente, durante a noite e madrugada, a partir de quinta-feira até a segunda-feira. Em dias de chuva o número de acidentes aumenta, pois a pista está molhada e alguns condutores não observam a condição da via e dirigem com velocidade inadequada”, acrescentou.

O diretor de fiscalização do Manaustrans orientou que os condutores procurem transitar com a velocidade compatível, estabelecida pela legislação de trânsito, e que mantenham a distância adequada entre o veículo que segue a sua frente.

“A grande quantidade de acidentes é com relação a essa questão. Não há tempo hábil de evitar um acidente por conta da proximidade do veículo, ou de algum obstáculo que venha surgir na via, ou até mesmo um pedestre atravessando. Os acidentes também podem acontecer devido a velocidade e por não se observar as condições do trânsito, do piso, do pavimento (que está molhado) e se a iluminação está adequada”, disse.

Para reduzir esses índices, Moacir afirmou que o Manaustrans, como integrante do sistema de trânsito, procura colaborar colocando redutores de velocidade nessas vias, em horários alternados.

“Procuramos colaborar colocando redutores de velocidade para que os condutores reduzam a velocidade, dispondo de viaturas padronizadas, giroflex, cones, fazendo corredores para proporcionar mais segurança para os pedestres, evitando, também, atropelamentos”, ressaltou.

Moacir contou que o setor de educação do Manaustrans tem investido em projetos que são desenvolvidos em empresas, instituições, quartéis e escolas municipais, por meio de trabalhos de conscientização, informando os índices e dando dicas de como se comportar mediante a situação observada na via.

“Nós temos o projeto ‘Condutor Consciente’, desenvolvido em empresas, e o projeto ‘Transversalizando o Trânsito’, desenvolvido em parceria com escolas municipais, no qual integra na educação das crianças a parte de trânsito, e isso também reflete na família. Temos também o projeto ‘Faixa Segura’, no qual os pedestres são auxiliados na travessia”, contou.

Anúncio
Anúncio