MP cria grupo para apurar presença de amazonenses em depredações

O foco do grupo de trabalho criado pelo Ministério Público do Amazonas (MP-AM) será o envolvimentos de amazonenses nos atos antidemocráticos do último dia 8 em Brasília

Manaus- O Ministério Público do Amazonas (MP-AM) criou grupo de trabalho para investigar o envolvimento de pessoas do Amazonas com os protestos violentos e anti democráticos ocorridos no último dia 8 em Brasília, “durante protestos de inconformismo com o resultado da eleição presidencial de 2022”.

(Foto: Marcelo Camargo/ABr)

O grupo é formado por seis membros, incluindo o procurador-geral de Justiça Alberto Rodrigues do Nascimento Júnior, que preside a comissão.

A portaria que cria a comissão destaca levar em conta “a necessidade de acompanhar e formalizar devidas providências acerca dos desdobramentos cíveis e criminais das manifestações de insatisfação com o resultado das eleições gerais de 2022, para Presidência da República, no âmbito do Amazonas”, consta no documento.

Ainda de acordo com o MP-AM, há notícias do “envolvimento de cidadãos amazonenses nos atos que culminaram na invasão e depredação das instalações do Palácio do Planalto, do Congresso Nacional e do Supremo Tribunal Federal, em Brasília, no mesmo contexto das aludidas manifestações”.

Denúncias

Na segunda-feira, 16, a Procuradoria-Geral da República (PGR) enviou ao Supremo Tribunal Federal (STF pacote de denúncias contra 39 pessoas envolvidas em atos de depredação e vandalismo contra prédios públicos em Brasília.

Anúncio