MP e cúpula da segurança assinam TAC para combater assaltos em ônibus em Manaus

Outra medida todas as investigações de crimes dentro do sistema de transporte público coletivo urbano de Manaus deverão estar concentradas no 17º Distrito Integrado de Polícia (DIP)

Manaus – Órgãos de segurança pública e ligados ao serviço de transporte de passageiros em ônibus coletivos de Manaus assinaram, na manhã desta segunda-feira (29), o Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que elenca nove medidas de combate aos assaltos cometidos dentro dos ônibus de passageiros na capital. O TAC é uma união de esforços da 61ª Promotoria de Controle Externo da Atividade Policial (Proceap), onde atua o promotor de Justiça, João Gaspar e da 81ª Promotoria de Defesa do Consumidor (Prodecon), da qual é titular a promotora de Justiça Sheyla Andrade.

TAC reúne medidas que vão consolidar o Programa de Combate aos assaltos em transporte público de Manaus (Foto: Altemar Alcantara/Semcom)

“São nove crimes, em média, por dia cometidos dentro do sistema público coletivo. É uma realidade com a qual nós não podemos mais conviver. O usuário do transporte coletivo não pode mais conviver. O programa visa eliminar o medo da comunidade usuária e da população em geral. O TAC traz medidas de fundo preventivo pra gente reduzir a criminalidade e impedir que os crimes ocorram”, disse o promotor João Gaspar.

Termo celebrado

Assinaram o Termo de Ajustamento de Conduta, além dos promotores de Justiça, o Secretário de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Louismar Bonates, representantes Delegacia Geral de Polícia Civil, Comando-Geral da Polícia Militar do Amazonas, Instituto de Mobilidade Urbana de Manaus (Immu), Casa Militar da Prefeitura de Manaus e Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

“Todas essas medidas que serão implementadas elas visam, de alguma forma, coibir a violência que hoje é a grande preocupação dentro dos veículos”, disse a promotora Sheyla Andrade.

Medidas contra os crimes

O TAC reúne medidas que vão consolidar o Programa de Combate aos assaltos em coletivos de Manaus. Entre elas, com prazo de 30 dias para implantação, de modelagem geoestatística ou georreferenciamento dos dados referente às ocorrências de roubos e furtos no transporte público coletivo.

A ação inclui o uso de informações sobre os crimes, como localização geográfica, horários, bairros, ruas, linhas, empresas, dias da semana, perfil dos criminosos, padrões de ação dos criminosos.

O levantamento de dados deve servir para a adoção de estratégias, como a criação de paradas de ônibus, treinamento de motoristas e cobradores, implantação de vigilância, mobilização e reforço do policiamento em áreas geográficas e horários onde mais acontecem os assaltos.

Outra medida todas as investigações de crimes dentro do sistema de transporte público coletivo urbano de Manaus deverão estar concentradas no 17º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Anúncio