Mulheres dominam pesquisas na FCecon

Atualmente, a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas tem 91 mulheres cadastradas no Departamento de Ensino e Pesquisa

Manaus – A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) conta atualmente com 91 mulheres cadastradas no Departamento de Ensino e Pesquisa (DEP), que se dedicam à pesquisa científica. Todavia, segundo a pesquisadora da unidade hospitalar, Lia Mizobe, por muito tempo a ciência era quase que exclusiva do sexo masculino.

Grupo de pesquisadoras do Departamento de Ensino e Pesquisa (DEP) (Foto: Rhyvia Araújo/FCecon/Divulgação)

Doutora em Clínica Odontológica pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp-SP) e coordenadora do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP/FCecon), Mizobe destaca que datas como o Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência, celebrado na última terça-feira (11), têm contribuído para incentivar o acesso e a participação dessas mulheres e meninas que desejam iniciar a carreira científica.

O Dia Internacional de Mulheres e Meninas na Ciência foi aprovado pela Assembleia da Organização das Nações Unidas (ONU), em 22 de dezembro de 2015, para promover o acesso integral e igualitário de mulheres e meninas na ciência. As ações são lideradas pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco) e pela ONU Mulheres, em colaboração com instituições e parceiros da sociedade civil.

Atualmente, as mulheres têm ocupado postos importantes e de destaque na área científica, pontua Mizobe, assinalando que na FCecon há mulheres doutoras, mestras e estudantes de iniciação científica, além de mulheres ocupando cargos de direção.

“Há números que demonstram o crescimento da participação feminina. No Brasil, 72% dos artigos científicos são assinados pelas mulheres, seja como coautora ou autora principal, conforme a Organização dos Estados Ibero-americanos (OEI)”, ressalta.

Mizobe aponta que a direção do DEP é ocupada por uma mulher – Kátia Luz Torres, que é doutora em Doenças Infecciosas e Parasitárias pela Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). E observa que pela primeira vez na FCecon foi ofertado, por meio de concurso público, o cargo de pesquisador, sendo que quatro mulheres foram aprovadas para exercerem, exclusivamente, atividades relacionadas à pesquisa e ao ensino.

Os desafios da pesquisa na unidade hospitalar, segundo Mizobe, envolvem a aquisição de mais verbas para compra de material de laboratório e de alguns equipamentos. Ela lembra também que a publicação dos resultados das pesquisas científicas e, assim, implantar melhores protocolos de atendimentos aos pacientes tem sido um estímulo.

Anúncio