Mutirão de consultas urológicas atende mais de 100 homens na FCecon

Ação tem o objetivo de detectar tumores no início e dar possibilidade de cura aos homens

Manaus – Cerca de 130 homens foram atendidos por médicos urologistas durante o mutirão realizado pela Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), neste sábado (23). Aqueles que tiverem os exames alterados e suspeita de câncer de próstata farão biópsia também na instituição, que é referência em tratamento na região norte.

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda que todo homem, a partir dos 50 anos, deva iniciar o rastreamento através do toque retal e do exame de PSA (Foto: Divulgação)

O mutirão, que faz parte da Campanha Novembro Azul, é realizado com o objetivo de detectar tumores no início e dar possibilidade de cura aos homens.

Segundo o diretor-presidente da FCecon, mastologista Gerson Mourão, muitos dos casos que chegam até a Fundação já são avançados. “A maioria dos tumores que nós temos aqui, em torno de 580 que temos no Estado, são casos avançados. O final disso pode ser a morte pra essas pessoas”, lamentou.

O câncer de próstata é o segundo tipo de neoplasia maligna que mais acomete os homens, perdendo somente para o câncer de pele não melanoma. Por isso a campanha Novembro Azul é realizada para alertar a população masculina sobre a importância de fazer seus exames regularmente.

Diagnóstico precoce

Os exames de PSA (de sangue) e toque retal são as duas alternativas para diagnosticar o câncer de próstata precocemente. A doença descoberta no início tem possibilidade de cura em até 95% dos casos.

Os 130 homens que participaram do mutirão já haviam realizado o exame de PSA na própria Fundação Cecon. Neste sábado, foi a vez do toque retal durante consulta com urologista. Ao todo, três médicos da especialidade e dois residentes atuaram na ação, além de 15 estudantes de medicina da Liga Acadêmica de Técnicas Cirúrgicas e Liga Acadêmica de Urgência e Emergência Médica.

Quando fazer os exames

A Sociedade Brasileira de Urologia (SBU) recomenda que todo homem, a partir dos 50 anos, deva iniciar o rastreamento através do toque retal e do exame de PSA.

Anúncio