No AM, estudantes que já fizeram o Enem por até nove anos dão dicas a candidatos

‘Não desistir’. Esse é o lema dos veteranos e ‘treineiros’ do Enem que já fizeram o exame diversas vezes na esperança de conseguir uma vaga. Eles contaram ao D24am o que aprenderam com a experiência

Manaus – ‘Não desistir’. Esse é o lema de estudantes que já fizeram diversas vezes a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) na esperança de conseguir uma vaga em curso de Ensino Superior no Amazonas. Estudantes contaram ao DIÁRIO o que aprenderam repetindo a prova ao longo de até nove anos.

Provas são realizadas neste domingo, em todo o País (Foto: Gisele Rodrigues/Divulgação)

Hoje jornalista, Mara Magilânia de Abreu, 35, conta que foi graças à prova que conseguiu o tão sonhado diploma da graduação. A primeira realizada foi em 2012, logo quando terminou o Ensino Médio. Segundo ela, o exame servia apenas para avaliar os alunos que saíam do segundo grau. De lá para cá, Mara observou muitas mudanças e viu a prova ficar ainda mais difícil.

Leia também: Mais de 165 mil no AM farão ‘novo’ Enem, neste domingo

“Em 2002, a antiga era melhor, os textos eram mais claros, tem coisas que lançaram recentemente que já está na prova. E sabe, né? Os livros de História mudaram, Geografia mudou. Quem terminou em ‘1900 e bolinha’ tem que fazer um preparatório para se atualizar”, disse a jornalista.

O números de homens e mulheres que farão a prova este ano está bem equilibrado, conforme apontou o Inep. Do total de participantes do Amazonas, 56,3% são mulheres e 43,7% são homens.

‘Treineiros’

O Enem 2017 já é a quinta edição que o estudante Lucas Souza, 19, participa. Ele faz parte da estatística do Inep, que neste ano apontou que 4,9% dos 165.077 participantes são os ‘treineiros’, que concluirão o Ensino Médio somente após 2017.

Ao contrário de Mara, Lucas começou a fazer a prova já no 9º ano do Ensino Fundamental. Como o próprio nome já diz a prova é baseada nos conhecimentos apresentados no Ensino Médio, sem o conteúdo a prova serviu como uma primeira experiência, segundo Lucas.

“A administração do tempo foi o que mais aperfeiçoei. Saber o que tem que fazer, a não perder muito tempo numa questão. Agora já pulo para a próxima, porque o Enem tem muitas questões e pouco tempo. Outra coisa que aprendi nesses anos foi a de não deixar por último a redação”, disse o estudante.

Conforme o estudante, como a prova é cansativa o melhor é fazer a redação com a ‘cabeça descansada’.

Anúncio
Anúncio