Nova procuradora-geral destaca combate contra feminicídio e violência doméstica

Em seu discurso, Leda Mara Nascimento Albuquerque, que já ocupou a Delegacia da Mulher, elencou as linhas de trabalho do Ministério Público do Amazonas, para o biênio 2018-2020

Manaus – A nova procuradora-Geral de Justiça, Leda Mara Nascimento Albuquerque, destacou que o Ministério Público do Amazonas (MP-AM) vai enfrentar com maior ênfase o feminicídio e a violência doméstica. O anúncio foi feito durante a posse para o biênio 2018-2020, na tarde desta segunda-feira (15).

Leda Albuquerque toma posse e vai chefiar o MP-AM no biênio 2018-2020 (Foto: Divulgação/MP-AM)

Em seu discurso, a nova procuradora, que já ocupou a Delegacia da Mulher, elencou as linhas de trabalho do órgão ministerial. “Nós temos problemas sérios com relação ao feminicídio, problemas sérios com a violência familiar e, sem dúvidas, esses serão problemas que serão enfrentados por mim e pelo Ministério Público. Nós temos colegas valorosos que atuam nos juizados, na Maria da Penha e com certeza nós vamos focar com muita eficácia e resolutividade nestes problemas que agridem a nossa sociedade, que agridem as famílias do nosso país, além do trabalho de combate à corrupção e ao crime organizado”, disse Leda Albuquerque.

A procuradora também ressaltou a necessidade de se respeitar os direitos humanos. “Esse momento não pertence apenas à procuradora-geral de Justiça que agora toma posse, mas a cada promotor e procurador que acalenta o desejo de construir o perfil institucional de um Ministério Público cada vez mais moderno, pujante, resolutivo,eficiente, voltado para o planejamento, contribuindo para a consecução de uma sociedade pautada no respeito aos direitos humanos. Assumo a chefia do MP amazonense consciente de que o poder é efêmero e tudo o que permanece são as escolhas que fazemos e o legado do serviço que prestamos à sociedade, ávida pela garantia e o reconhecimento dos seus direitos”, concluiu.

Ao deixar o cargo, o procurador Carlos Fábio Braga Monteiro fez discurso de despedida e destacou a preocupação em estruturar a Instituição com materiais humano e físico, além de citar a realização de concurso público para promotores, construção e reforma de sedes próprias no interior, melhor acesso à internet para a promotorias fora da capital e aquisição de equipamentos para combate à corrupção.

“Concluo essa etapa da minha vida me considerando mais sereno, mais polido, mais sensível e cada vez mais apaixonado pelo que faço. Foram 4 anos de grandes dificuldades, grandes desafios, mas acima de tudo, um período de aprendizado e grande satisfação”, afirmou Fábio Monteiro.

No último dia 10 de setembro, Leda Albuquerque já havia sido aclamada pela classe como a mais votada, com votação histórica de 123 votos, a maior já alcançada por um candidato ao cargo de PGJ no MP-AM. A nomeação por decreto governamental, assinado pelo governador Amazonino Mendes, aconteceu no dia seguinte à eleição da lista tríplice.