Operação ‘Cheia 2021’ vai atender 4 mil famílias ribeirinhas em Manaus

De acordo com o estudo hidrológico, a cheia deste ano pode ser uma das maiores dos últimos 100 anos

Manaus –  O Comitê Gestor de Pronta-Resposta, deu início nesta segunda-feira(19) a operação “Cheia 2021, no Beco do Pescador, no Mauazinho, zona leste de Manaus. O Comitê é formado por representantes das secretarias municipais de Infraestrutura (Seminf), Limpeza Urbana (Semulsp), Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), Casa Militar, Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb) e o Fundo Manaus Solidária.

(Foto: Ruan Souza / Semcom e Osmar Neto / Vice-prefeito)

“Nós estamos preparados para uma cheia que fique entre 28 e 30 metros. São quase 3 mil metros de ponte que serão construídos para toda Manaus, em 19 áreas mapeadas. Nós estaremos em todas essas áreas levando o auxílio, a mão amiga da prefeitura. Estamos iniciando os trabalhos para minimizar os danos que essa subida dos rios irá causar na nossa cidade e, principalmente, na nossa população’, informou David Almeida, prefeito de Manaus.

De acordo com o estudo hidrológico, a cheia deste ano pode ser uma das maiores dos últimos 100 anos, se aproximando dos 30 metros.

“Nós temos um alerta de 29 metros, e  a gente pode acessar recursos do governo federal, caso haja um dano grande à população, mas nesse momento ainda não se faz necessário decretação de estado de emergência. No momento, o que nós estamos fazendo é com recursos próprios para essas ações. Já estamos providenciando compra de alimentos, mantimentos, kits higiene, kit dormitório e Equipamentos de Proteção Individual, os EPIs”, disse o prefeito.

Parte do material utilizado até o momento pela Prefeitura de Manaus para a construção de pontes de madeira vem de doações realizadas por órgãos fiscalizadores.

“As madeiras que estamos colocando nas ruas, nós não estamos gastando, porque conseguimos várias doações. Existem muitas madeiras apreendidas há dois anos. Já solicitamos da Polícia Federal essa ajuda. Nós estamos requisitando essas madeiras para que além dessas pontes, possamos recuperar todas as pontes permanentes que têm na cidade de Manaus, após o término da enchente”, finalizou David Almeida.

Conforme monitoramento hidrológico, em 2021, Manaus deverá ter uma das cinco maiores cheias da sua história. Pelo menos 4 mil famílias deverão ser contempladas pela ação.