Operação contra desmatamento no sul do AM multa empreendimentos em mais de R$ 1,7 milhão

Dois empreendimentos nos municípios de Apuí e Humaitá foram multados

Humaitá – Dois empreendimentos nos municípios de Apuí e Humaitá foram multados em R$ 1.746.000,84, na quinta-feira (5), na operação de combate às queimadas e desmatamento ilegal no sul do Amazonas. As ações foram realizadas simultaneamente por órgãos estaduais e federais nos dois municípios, que estão entre os que mais registram focos de calor no estado.

Em Humaitá foram apreendidas 3.095 toras de madeira (Foto: Divulgação)

Em Apuí (a 453 quilômetros ao sul de Manaus), fiscais do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), militares do Exército Brasileiro, oficiais do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) e do Batalhão Ambiental da Polícia Militar (BPAMB) identificaram materiais suspeitos à realização de queimadas propositais no Sítio Araújo, localizado na Vicinal do Zacarias. De acordo com as equipes, o proprietário do sítio confessou o uso do material para o ilícito e foi multado em R$ 75 mil por desmatar ilegalmente 14 hectares de vegetação.

Já no município de Humaitá (a 590 quilômetros a sudoeste de Manaus), as equipes voltaram à serraria Real Madeireira, embargada na última quarta-feira (4), para dar continuidade à averiguação de todos os materiais encontrados na empresa. Foram apreendidas 3.095 toras de madeira, que ficaram sob controle do proprietário da madeireira como fiel depositário, e a empresa foi interditada. Uma nova multa foi aplicada, no valor de R$ 1.671.000,84.

A serraria fica localizada às margens da BR-319 (Transamazônica), na comunidade Realidade, local marcado por conflitos por extração ilegal de madeiras e grilagem de terra. A área é uma das regiões prioritárias para a ação dos órgãos de fiscalização, para combater a prática de ilícitos ambientais.

Anúncio