Órgãos anunciam troca de dados no combate ao crime organizado

Evento reúne procuradorias e órgãos de segurança, além de representantes da Colômbia e Peru

Manaus – Órgãos firmam compromisso com a cooperação e a articulação, de forma célere, na troca de informações para as atividades de prevenção e combate à corrupção, à lavagem de dinheiro, à malversação de recursos públicos e às organizações criminosas. O acordo está inserido na Carta de Manaus, firmada após o 1º Encontro de Órgãos de Persecução Penal da Amazônia Legal, Colômbia e Peru, evento realizado, nesta quarta-feira (11), na sede do Ministério Público do Amazonas (MP-AM).

O objetivo da reunião foi compartilhar informações e experiências no combate ao crime organizado na região. Participaram procuradores-chefes de Justiça da Amazônia Legal, representantes do Comando Militar da Amazônia (CMA), Polícia Federal (PF), Ministério Público Federal (MPF), Controladoria Geral da União (CGU), Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP), Comando da Polícia Militar do Amazonas (PM) e consulados da Colômbia e do Peru.

“O maior objetivo é que nós tenhamos condição de botar no papel aquilo que já deveria estar efetivado há muito tempo, ou seja, o compartilhamento de informação contra a criminalidade organizada por parte de todas as instituições”, disse procurador-geral de Justiça do Amazonas, Carlos Fábio Braga Monteiro, na abertura do evento. O procurador ressaltou que a ideia é reunir todos que combatem o crime, principalmente essa questão do narcotráfico, uma das principais preocupações é com a tríplice fronteira.

O chefe de Operações do CMA, general-de-brigada Algacir Polsin, fez uma apresentação sobre a atuação do Exército na região de fronteira e também destacou a necessidade de um trabalho conjunto para vencer as dificuldades e deficiências. “ É muito importante que nós mantenhamos sempre essa ligação e busquemos aperfeiçoar esse trabalho permanentemente”, disse o general.

Anúncio