Órgãos definem reforço em operação de combate às queimadas no AM

O encontro foi realizado no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) na manhã desta segunda-feira

Manaus – Foi definida, na manhã desta segunda-feira (19), a estratégia de fortalecimento as ações de combate às queimadas não autorizadas e desmatamento ilegal no sul do Amazonas e Região Metropolitana de Manaus (RMM). O encontro foi realizado no Centro Integrado de Comando e Controle (CICC) e definiu o reforço operacional da força-tarefa.

Encontrou contou com representantes dos principais órgão de proteção ambiental do Amazonas (Foto: Lucyleny Rocha/Divulgação)

Coordenada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema) e Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), a reunião contou com a presença de representantes do Batalhão de Incêndio Florestal e Meio Ambiente (Bifma) do Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CMBAM), do Comando Militar do Amazonas (CMA), Delegacia do Meio Ambiente (Dema) e Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM).

Na reunião, foi alinhado o roteiro metodológico para apoiar a força-tarefa estadual formada com a assinatura do decreto que declarou situação de emergência no estado por conta do impacto negativo do desmatamento ilegal e de queimadas não autorizadas. Segundo o gerente de Fiscalização do Ipaam, Hermógenes Rabelo, ações de prevenção já vêm ocorrendo nos municípios do sul do Estado e o órgão entrará para fortalecer a operação em campo.

“Estamos atuado efetivamente no Amazonas para inibir o avanço do desmatamento ilegal do estado. Neste momento, definimos o apoio operacional da equipe que já está em campo. Entraremos com um grupo do Corpo de Bombeiros, Polícia Militar e técnicos do Ipaam para somar esforços”, ressaltou Hermógenes.

O chefe do Departamento de Gestão Ambiental e Territorial da Sema, Giuliano Piotto, destacou a importância da ação da força-tarefa. “Esta atuação em conjunto entre órgãos federais, estaduais e municipais amplia o impacto da nossa ação, permitindo maior efetividade tanto nas ações de educação ambiental como de controle”, disse.