Pela sexta vez, Justiça tenta julgar ‘João Branco’ e mais 3 pela morte de delegado

Além de ‘João Branco’, o Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri julga Marcos Roberto Miranda da Silva, o ‘Marcos Pará’, Diego Bruno de Souza Moldes e Messias Maia Sodré

Manaus– Está marcada para esta sexta-feira a sexta tentativa de julgar o narcotraficante João Pinto Carioca, o ‘João Branco’, e outros três réus no processo sobre o assassinato do delegado da Polícia Civil (PC) Oscar Cardoso Filho, ocorrido em 2014. A informação é do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM).

’João Branco’ participará da sessão por videoconferência. (Foto: Jair Araújo/ Arquivo DA)

Além de ‘João Branco’, um dos líderes da facção criminosa Família do Norte (FDN), o Conselho de Sentença da 2ª Vara do Tribunal do Júri da Comarca de Manaus julga Marcos Roberto Miranda da Silva, o ‘Marcos Pará’, Diego Bruno de Souza Moldes e Messias Maia Sodré.

Esta será a sexta tentativa do Judiciário em julgar esses réus. No último julgamento, em agosto do ano passado, a realização do júri ficou prejudicada. O advogado de João Pinto Carioca e o defensor público que representou o réu Messias Maia Sodré se recusaram a realizar a defesa dos dois acusados e o juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri considerou abandono de plenário. Os outros dois réus – Diego Bruno e Marcos Roberto -, desconstituíram seus advogados durante a sessão e o julgamento dos quatro não pôde continuar.

No mesmo processo, a defesa de Mário Jorge Nobre de Albuquerque, o ‘Mário Tabatinga’, permaneceu em plenário e ele foi julgado nos dias 25 e 26 de agosto do ano passado.

A participação de ‘João Branco’, que está preso no presídio federal de Catanduvas, interior do Paraná, será por meio de videoconferência. A dos demais será da forma presencial.

Foram arroladas um total de 15 testemunhas, tanto pela acusação quanto pelas defesas. O julgamento está marcado para começar às 8h30 desta sexta-feira, no Plenário do Fórum de Justiça Henoch Reis, na Avenida Umberto Calderaro, bairro São Francisco, zona sul de Manaus, e deve se estender pelo fim de semana.

O juízo da 2ª Vara do Tribunal do Júri proibiu a entrada, no plenário, onde ocorrerá o julgamento, de aparelhos celulares e qualquer tipo de equipamento de fotografia ou filmagem.

Anúncio