Período de cadastro e recadastramento da meia-passagem termina no próximo dia 28

Estudantes devem atualizar suas informações pela internet ou nos dois pontos físicos do Sinetram

Manaus – A Prefeitura de Manaus iniciou nesta segunda-feira (3) o período de cadastro e recadastramento da passagem estudantil para 2020, que termina no próximo dia 28. Os alunos devem atualizar as informações acadêmicas referentes ao ano de 2019 por meio do site estudantes.manaus.am.gov.br.

O CPF dos estudantes será cobrado neste ano para combater fraudes (Foto: Divulgação)

De acordo com o vice-presidente de transportes do Instituto Municipal de Mobilidade Urbana (Immu), Pedro Carvalho, os estudantes e responsáveis que estiverem com dificuldades no acesso pela internet, podem ir até os dois pontos de atendimento do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram).

“Este ano, a novidade é que não só a unidade do Sinetram da Avenida Constantino Nery estará atendendo, como também a do Shopping Phelippe Daou, que atenderá as demandas das zonas norte e leste. Depois do cadastro ou recadastro será examinado quem realmente é estudante da escola que o aluno colocou no sistema, e somente depois da confirmação será liberada a carteira”, disse.

Neste ano também será cobrado o CPF dos alunos. O gestor de bilhetagem do Sinetram, Antonio Zanetti, explicou que a cobrança do documento será para melhorar o sistema do órgão e, assim, combater fraudes.

“Estávamos enfrentando muitos problemas com homônimos. Muitos nomes parecidos, utilizados para fraudar, que estavam nos gerando muitos problemas. Orientamos os pais ou responsáveis que retirem o documento de seu filho, pois se o pai ou mãe colocar o próprio CPF, não poderá utilizar o mesmo se tiver outro dependente. Nós notamos que precisávamos de uma identificação mais completa do aluno”, completou.

Outra novidade são as novas carteirinhas emitidas pelas entidades. Ao contrário da anterior, a foto do aluno não virá mais exposta no cartão e ficará semelhante ao cartão cidadão. “Fizemos essa mudança para aliviar os dados do sistema, onde a imagem é ‘pesada’. Isso também fez com que barateassem os custos da emissão da carteira”, explicou Pedro Carvalho.

Anúncio