Período eleitoral é apontado como fator de crescimento da Covid no AM, diz FVS

Os cinco municípios que mais apresentaram aumento no número de casos, acima de 100 nestas duas últimas semanas, foram Manaus, Parintins, Carauari, Tefé e Amaturá

Manaus – No fim da tarde desta quarta-feira (14) o Governo do Amazonas apresentou os indicadores da Covid-19 no Estado, onde apontou como fatores do crescimento de casos em setembro, as convenções eleitorais e o feriadão de independência, principalmente nas classes B e C. A reunião foi transmitida online pela rede social do órgão.

(Foto: Reprodução)

A diretora-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS-AM), Dra. Rosemary Pinto, disse que o crescimento começou primeiramente com as aglomerações em convenções, balneários, bares, restaurantes, flutuantes, festas particulares e casas de eventos.

“A partir destes eventos, 15 dias depois, começamos a ver o aumento do número de casos, principalmente em Manaus, que chegou ao aumento de 140% se comparado ao início do nosso mapeamento. Isso resultou no aumento também no número de hospitalizações”, disse.

Os cinco municípios que mais apresentaram aumento no número de casos, acima de 100 nestas duas últimas semanas, foram Manaus, Parintins, Carauari, Tefé e Amaturá. Segundo a diretora da FVS-AM, o que chamou a atenção do órgão foi o aumento de casos em UTI na capital.

“Nós temos uma estabilidade na rede pública, apesar de um aumento no nosso Hospital de referência, mas notamos um crescimento nas redes particulares, onde praticamente duplicou no início de setembro na rede privada. O perfil lembra o do início da pandemia, onde estamos com um aumento no número de casos nas Classes B e C, onde começaram a sair sem as devidas prevenções”, explicou Rosemary Pinto.

Outros dados

Ainda na reunião, o gráfico apontou que apesar da estabilidade em todo o Amazonas, o número de óbitos por Covid-19 teve crescimento em Manaus, na última semana de setembro e a primeira semana de outubro. As pessoas com comorbidades continuam sendo os principais casos de internação e de piora nos quadros clínicos.

Já a faixa etária, segundo a diretora da FVS-AM, Rosemary Pinto, está entre jovens de 20 a 40 anos de idade, tanto na capital quanto no interior. Em relação às hospitalizações, houve um crescimento na faixa etária de acima de 40 e 60 anos. Houve queda no numero de casos nos menores de 19 anos.

“Então quem adoece, são os jovens que estão se expondo às aglomerações, mas quem adoece gravemente e precisa se hospitalizar, são os de mais idade e os mais jovens que tem comorbidades. É um ciclo que percebemos claramente”, completou.

Anúncio