Piloto que sobreviveu a acidente com aeronave é transferido para Hospital da Aeronáutica

O avião de pequeno porte pegou fogo após um pouso forçado, em uma área de mata, no bairro Flores, zona centro-sul. Clóvis Martiny, 55, era o único que estava na aeronave

Manaus – O piloto Clóvis Martiny, 55, sobrevivente do acidente com aeronave ocorrido na manhã desta terça-feira (22), foi transferido para o Hospital da Aeronáutica de Manaus (HAMN), nesta tarde. O avião de pequeno porte pegou fogo após um pouso forçado, em uma área de mata, no bairro Flores, zona centro-sul. Clóvis era o único que estava na aeronave.

Piloto precisou fazer um pouso de emergência e a aeronave pegou fogo. (Foto: Divulgação/Corpo de Bombeiros)

Encaminhado ao Hospital e Pronto-Socorro 28 de Agosto, na manhã desta terça, Martiny foi transferido ao Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio para ser submetido a uma avaliação neurológica. Após o atendimento, ele foi mais uma vez transferido ao HAMN, segundo informou a Secretaria de Estado de Saúde do Amazonas (Susam).

Oficial reformado da Aeronáutica, o piloto sobreviveu ao pouso forçado da aeronave da empresa de táxi aéreo Amazon Naves. Ele saiu ensaguentado de dentro da aeronave que pegou fogo após o pouso. Ele sofreu escoriações na face e nos membros inferiores.

O avião estava retornando de um frete, em São Gabriel da Cachoeira (a 852 quilômetros a noroeste de Manaus), quando, no período da noite, pousou no aeroporto Eduardo Gomes, zona oeste da capital. Segundo o gerente de segurança operacional da Amazon Naves, João Tavares dos Santos, durante o translado do aeroporto para o Aeroclube de Manaus, na zona centro-sul, ocorreu a tentativa de pouso de emergência.

O avião foi fabricado em 1995, segundo informações da Agência Nacional da Aviação (Anac). Em consulta ao site da Anac, o avião está com a Certificação de Aeronavegabilidade (CA) regular e o vencimento do documento ocorre somente no dia 17 de julho de 2021.