Pirarucu de Manejo de Mamirauá recebe registro do Inpi

O registro abrange uma região formada por nove municípios

Manaus – Foi publicado, na edição de nº 2.636, do dia 13 de junho, da “Revista da Propriedade Industrial” do Instituto Nacional de Propriedade Industrial (Inpi), registro de Denominação de Origem (DO) para o Pirarucu de Manejo de Mamirauá, no Amazonas. O registro abrange uma região formada por nove municípios, e passa a ser a maior área delimitada por indicação geográfica no país.

(Foto: Djalma Júnior)

O engenheiro de pesca da Sepa, Renilton Solarth, destacou que, agora, o pirarucu, o mais importante pescado da Amazônia, uma vez legalizado e com origem reconhecida das áreas de manejo no estado, passa a ter valor agregado. O registro permite ainda que se obtenha a rastreabilidade do produto desde sua origem até o consumidor final, passando por frigoríficos e seus diversos pontos de venda nos mercados nacional e internacional.

“É muito importante que se divulgue que o pirarucu de manejo do Mamirauá é a única espécie a ter sua IG no país, com apoio do Governo do Estado, o que nos permitiu, como representantes da Sepror, acompanhar todo o processo que valoriza ainda mais este pescado de grande importância na cadeia alimentar amazônica”, disse Renilton Solarth.

A IG de Mamirauá abrange os municípios de Alvarães, Fonte Boa, Japurá, Juruá, Jutaí, Maraã, Tefé, Tonantins e Uarini. A área delimitada abrange as Unidades de Conservação (UCs) Floresta Nacional (Flona) de Tefé, Reserva Extrativista (Resex) Auatí-Paraná e as reservas de desenvolvimento sustentável Mamirauá e Amanã.

Anúncio