PL que institui a campanha ‘Setembro Azul para Surdos’ é aprovada na Assembleia

A matéria é de autoria do deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) e incluirá a campanha no calendário oficial de eventos do Estado

Manaus – O plenário da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) aprovou nesta quarta-feira (12), de forma unânime, o Projeto de Lei nº 588/2019, que institui o ‘Setembro Azul’ para Campanha de Conscientização aos Direitos das Pessoas Surdas, a ser realizada anualmente no mês referido. A matéria é de autoria do deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) e incluirá a campanha no calendário oficial de eventos do Estado.

(Foto: Wilkinson Cardoso/Divulgação)

De acordo com a propositura, o objetivo é conscientizar a sociedade sobre os direitos da comunidade surda, além de nortear políticas públicas voltadas para o segmento. A campanha, que terá como símbolo um laço azul turquesa, vai ser formada por ações e eventos no mês que se comemora o Dia Nacional do Surdo (26 de setembro) e o Dia Internacional da Pessoa Surda (30 de setembro).

No Amazonas, segundo o IBGE, existem mais de 150 mil pessoas com deficiência auditiva e cerca de 5.400 são surdas. Por isso, para Wilker, a aprovação da matéria é uma conquista que vai abrir espaço para ações e políticas públicas visando o desenvolvimento social, intelectual e profissional.

“Agradeço aos meus pares pela aprovação de uma matéria que não foi levantada por mim, e sim pela comunidade surda, que muitas vezes é esquecida. Precisamos dar voz e vez para eles, tanto na Casa quanto na sociedade, para que possamos nortear políticas públicas e oferecer condições dignas para os surdos”, declarou Wilker, que em junho do ano passado promoveu na Aleam o 1º Encontro da Educação Pública Bilíngue Libras e Português Escrito do Estado do Amazonas.

Campanha anual

A campanha Setembro Azul será promovida anualmente com reuniões, palestras, seminários, apresentações, audiências públicas, exposições e outros eventos em prol das pessoas surdas. A cor azul simboliza para a comunidade surda o período da Segunda Guerra Mundial, em que os portadores da deficiência usavam uma faixa de cor azul fixada no braço, para posteriormente serem identificados e mortos pelos nazistas, pois eles acreditavam que os surdos eram incapazes.

Anúncio