Plano de acolhimento da prefeitura retira 50 moradores das ruas de Manaus

Os serviços estão sendo realizados de forma continuada através de um plano de atendimento desde o início da pandemia, para que o grupo possa receber alimentação e ser protegido contra a contaminação da doença

Manaus – A Prefeitura de Manaus, por meio da Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania (Semasc), realocou mais de 50 pessoas em vulnerabilidade social acolhidas no Ceti Áurea Pinheiro Braga, na avenida Brasil, s/nº – Compensa 3, zona Oeste, implantado emergencialmente durante a pandemia do novo coronavírus, pelo governo estadual, no intuito de atender à população de rua. O espaço também contou com o apoio da prefeitura e Organizações da Sociedade Civil (OSC).

Segundo a secretária da Semasc, Suzy Zózimo, conforme a determinação do prefeito Arthur Virgílio Neto, a prefeitura tem desenvolvido um trabalho socioassistencial com a população de rua. Esses serviços vêm sendo realizados de forma continuada, pois foi feito um plano de atendimento dessas pessoas no início da pandemia, para que pudessem receber alimentação e serem protegidas de contaminação pela Covid-19.

O espaço foi montado para prevenção contra o novo coronavírus (Foto: Divulgação/ Semcom)

“Neste momento, com a retomada das atividades e com a solicitação de que a escola onde funcionava o acolhimento fosse retomada para cuidados e início das aulas, a Prefeitura de Manaus está realocando os acolhidos para um novo abrigo temporário que conta com beliches, colchão, kits de higiene pessoal, entre outros materiais adquiridos pela prefeitura, além de terem acompanhamento de equipe multidisciplinar”, pontuou a secretária.

“Esse plano de desmobilização é uma forma gradual de atendimento à população de rua, pois eles precisam ser assistidos no que diz respeito ao atendimento médico e encaminhamentos para as demais políticas públicas, para que não venham ser desassistidos como antes, com o objetivo de que possam ter seus direitos garantidos”, destacou Alcione.
Atualmente, com a transferência de acolhidos do Ceti, o município possui 37 acolhidos no Serviço de Acolhimento Institucional (SAI) Amine Daou Lindoso para população de rua. O espaço recebeu ampliação de mais 20 vagas de acolhimento e implantação de beliches.

Anúncio