Polícia Federal deflagra operação em Manaus

Entre os alvos está o empresário Gustavo Henrique Macário Bento, responsável por empresa que fornece merenda escolar para o Estado e que teve contrato assinado, no início do ano, sem licitação

Manaus – A Polícia Federal do Amazonas (PF-AM) deflagrou, na manhã desta terça-feira (30), a operação ‘Eminência Parda’, na capital do Estado. Entre os alvos está o empresário Gustavo Henrique Macário Bento, responsável pela G.H. Macário Bento. A ação investiga a prática de crimes de peculato, lavagem de capitais e organização criminosa.

No início deste ano, o responsável pela Secretaria de Estado de Educação (Seduc), Luiz Castro, dispensou licitação e assinou contrato com a empresa no valor de R$ 32 milhões. Na época, Tribunal de Contas do Estado (TCE) mandou o órgão suspender a firmação do contrato com a G.H. Macário Bento e com a Bento Martins de Souza Eirelli. Ambas são fornecedoras de almoço e merenda escolar.

A Polícia Federal esteve na casa de Gustavo Henrique Macário Bento, responsável pela G.H. Macário Bento (Foto: Divulgação)

De acordo com o inquérito policial instaurado para investigar os fatos, os envolvidos teriam utilizado da empresa fornecedora de refeições para, em conluio com o então administrador de uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP), desviar recursos públicos federais, mediante a simulação de serviços e outras fraudes, como a prática de sobrepreço, que possibilitaram pagamentos indevidos reiteradas vezes.

Além disso, a investigação criminal também possibilitou a descoberta da possível prática de crime de lavagem de dinheiro por parte do empresário que também atua no ramo da pecuária. De acordo com as provas obtidas, o empresário teria chegado a receber periodicamente, e em espécie, a quantia de R$ 1.040 milhão ou frações, repassada pelo então administrador da OSCIP, com a finalidade de ocultar a origem, natureza e propriedade do dinheiro público desviado por intermédio da referida organização social.

Estão sendo cumpridos dois mandados de prisão preventiva, um mandado de prisão temporária e 16 mandados de busca e apreensão nas cidades de Manaus, Boca do Acre (a 1.028 quilômetros a sudoeste de Manaus) e Rio Branco (AC), além de sete mandados de bloqueio de contas de pessoas físicas e jurídicas no montante de, aproximadamente, R$20 milhões.

Nome

‘Eminência Parda’ é uma expressão utilizada para designar aquele que atua de forma oculta, ‘nos bastidores’, mas que detém grande poder de influência, de decisão e demando. Uma coletiva de imprensa será realizada às 13h, no auditório da Superintendência Regional da Polícia Federal no Amazonas.

***Matéria atualizada às 11h11