Açougueiro é morto por engano ao tentar salvar filhas de 1 e 4 anos, no São José

Segundo a polícia e o sogro da vítima, o alvo dos criminosos era um ex-cunhado da vítima. “Atiraram em quem viram por aqui”, relatou o familiar

Manaus – O açougueiro Peterson Prestes dos Santos, 20, foi morto a tiros ao tentar evitar que as duas filhas, de 1 e 4 anos, fossem baleadas, na noite da última quarta-feira (21), no São José, zona leste de Manaus. De acordo com o sogro dele, Paulo Rodrigues, 50, os atiradores chegaram ao local à procura do ex-cunhado da vítima, conhecido como ‘Rato’, e acabaram matando a pessoa errada.

Peterson foi levado ao Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio mas não resistiu e morreu (Foto: Reinaldo Okita)

Conforme informações da polícia, o crime ocorreu por volta das 19h30. De acordo com Paulo Rodrigues, cerca de dez homens desceram de dois carros e passaram a atirar em direção a estância, onde Peterson morava com as filhas e a mulher, na Rua Cacau Pirêra. Os suspeitos, segundo a testemunha, efetuaram cerca de 40 disparos de pistolas 9 milímetros e .40.

Peterson, segundo o sogro, foi tentar salvar as duas filhas, de 1 e 4 anos. Durante o salvamento, ele foi atingido com três tiros, sendo um na perna, outro na cabeça e um nas costas. “Foram muitos tiros. Eles só não entraram nos quartos, mas subiram a escada e atiraram ali de cima”, relatou Paulo.

De acordo com Paulo e a polícia, o grupo de homens foi ao local à procura do ex-cunhado de Peterson, identificado como ‘Railson’ e ‘Rato’, que tem envolvimento com o tráfico. “Eles vieram para matar esse Rato, mas como ele não estava. Atiraram em quem viram por aqui. Meu genro nunca teve envolvimento com drogas. Pelo contrário, ele era trabalhador”, disse.

Peterson chegou a ser socorrido e levado ao Hospital e Pronto-Socorro Dr. João Lúcio, na zona leste, onde não resistiu e morreu, no início da madrugada. O caso segue em investigação pela DEHS.

Anúncio