Adolescente é confundido com ladrão de celular, espancado e sequestrado

Quatro homens sequestraram o jovem e o colocaram em uma picape

Manaus – Um adolescente, de 13 anos, foi espancado e sequestrado, após ser confundido com um ladrão de celular, na Rua Macatuba, no bairro Jorge Teixeira, zona leste de Manaus, na tarde desta sexta-feira (7), de acordo com o conselheiro tutelar da zona leste 2, José Weverton. Quatro homens sequestraram o jovem e o colocaram em uma picape.

De acordo com a mãe do adolescente, a dona de casa Sília Filha das Neves, 28, um dos quatro homens, que cometeram o crime, teve o celular roubado. Ainda na tarde desta sexta-feira (7), o ladrão ofereceu o objeto roubado a moradores, em uma rua do bairro Cidade de Deus, ao mesmo tempo em que o adolescente se encontrava próximo ao local, conversando com a prima.

“Por volta das 15h, um popular disse, aos homens, que estavam oferecendo o telefone, naquela área. Quando os caras chegaram ao local, viram apenas o meu filho, conversando com a prima, e logo deram uma ‘paulada’nele”, disse Sília.

Um Boletim de Ocorrência (B.O) foi registrado no 30º DIP (Foto: Divulgação/Polícia Civil)

A dona de casa afirmou, também, que a vítima foi ferida na cabeça até desmaiar. Depois disso, o quarteto colocou o jovem dentro de um carro e fugiu do local. A prima do adolescente ligou para a mãe do rapaz, informando que tinham matado o jovem, na frente da casa dela. “Eu, estando grávida, peguei um mototáxi e fui até o local, onde me disseram que tinham levado ele ao 9º Distrito Integrado de Polícia (DIP)”, relatou.

Ao chegar no DIP, Sília não encontrou o filho e continuou a procurá-lo em outros distritos integrados de polícia. No 13º DIP, a doméstica recebeu ajuda de uma policial militar, que divulgou uma nota de desaparecimento nas redes sociais. Por volta das 17h30, Sília recebeu informações a respeito da localização do filho.

Weverton informou que o quarteto deixou o adolescente em frente ao Hospital e Pronto-Socorro (HPS) Platão Araújo, situado na zona leste, onde ele foi socorrido pela equipe da unidade de saúde e enviado ao 14º DIP, onde a mãe conseguiu encontrá-lo. “O que é mais revoltante sobre esse caso é o fato de os homens acharem que podem pegar um adolescente, por acharem que ele é menor infrator, e colocá-lo numa picape, saindo por aí, desordenados”, disse o conselheiro tutelar.

Um Boletim de Ocorrência (B.O) foi registrado no 30º DIP pela família do adolescente.