Adolescente é executado a tiros por ‘justiceiro’, durante arrastão na Cidade Nova

Adolescente, de 17 anos, foi morto com cinco tiros enquanto realizava arrastões com a namorada. Dupla realizava os arrastões em uma motocicleta

Manaus – Um adolescente de 17 anos foi morto com cinco tiros enquanto realizava arrastões com a namorada, de 19 anos, que não teve o nome informado, na Rua 180, bairro Cidade Nova, zona norte da capital, na tarde desta quarta-feira (17). A mulher afirmou à polícia que um ‘justiceiro’ realizou os disparos. Foi o segundo caso envolvendo justiceiros nesta quarta-feira.

De acordo com o tenente Silva Valente, da 27ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), a dupla realizava os arrastões em uma motocicleta. Segundo depoimento da  namorada da vítima aos policiais da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), o autor do homicídio se aproximou deles em um carro preto. “O ‘cara’ chegou e matou ele, que já tinha caído no chão, mas ainda estava vivo”, disse ela. Ao ser questionada pelo policiais se o autor dos disparos havia sido roubado pela dupla, a mulher negou. “Não. Era ‘herói’ mesmo”.

A mulher afirmou ainda que a dupla assaltou somente uma pessoa nesta quarta-feira. Durante a ação, a vítima teve o celular roubado. A suspeita não soube informar onde o crime foi realizado.

Segundo a namorada do adolescente, o ‘justiceiro’ se aproximou deles em um carro preto e efetuou os disparos (Foto: Filipe Távora/Divulgação)

Conforme uma moradora do local, que teve a identidade preservada, antes de ser atingido fatalmente pelos tiros, o adolescente foi alvo de vários disparos quando tentou assaltar a casa de um policial militar, na mesma rua. “Os vizinhos falaram que, depois que o policial atirou nele, ele saiu correndo e acabou colidindo contra uma viatura, que já estava se deslocando na direção dele”, relatou.

A moradora também contou que o policial reagiu ao assalto em legítima defesa. O PM, que mora com os pais, idosos, teve que levar a mãe a uma unidade de saúde, depois que ela passou mal, em razão do ocorrido, conforme a testemunha.

Materiais apreendidos

De acordo com o tenente Valente, o celular roubado, a motocicleta e um simulacro de arma de fogo, utilizado para cometer os assaltos, foram apreendidos e levados ao 6° Distrito Integrado de Polícia (DIP), junto com a suspeita. “Eles estavam realizando arrastões no bairro Águas Claras e nas adjacências. A mulher foi detida pelos populares, depois que o adolescente foi alvejado”, disse a autoridade policial.

Ainda conforme o tenente, a mulher era quem pilotava a motocicleta, enquanto o adolescente abordava e assaltava as vítimas.

De acordo com peritos do Departamento de Polícia Técnico-Científica (DPTC), os disparos acertaram pescoço, tórax, perna e braço do adolescente.

Testemunho de moradores

Conforme uma vítima, que preferiu não se identificar por medo de represálias, o adolescente apontou o simulacro de arma de fogo na cabeça dele, ordenando que o transportasse, juntamente com a namorada, em um carro, para um destino ignorado. “Eles invadiram a minha casa. Queriam que eu os levasse, de carro, até um lugar o qual não me lembro”, contou.

Segundo a presidente da Comissão de Segurança e Cidadania do Núcleo 15 da Cidade Nova, Sylvia Aragão, moradores do local acionaram a Polícia Militar. “A segurança está mesmo em falta no Núcleo 15”, disse.

Sylvia afirmou, também, que alguns moradores alegaram ter visto a suspeita, em outra ocasião, pedindo comida e roupa nas proximidades. “Alguns vizinhos a reconheceram em virtude disso. Eles (suspeitos) não são moradores daqui da área”, afirmou.

O corpo do adolescente foi levado ao Instituto Médico Legal (IML). A DEHS investigará o caso.