Adolescentes estão desaparecidas há três dias e familiares pedem ajuda

A suspeita dos familiares é de que as adolescentes estejam participando de um jogo de desafios da internet

Manaus – Os familiares das adolescentes Hannah Letícia, Rebeca Miquilis e Maria Clara, todas de 14 anos, estão em busca de informações sobre o paradeiro das meninas, que estão desaparecidas desde o último final de semana. A suspeita dos familiares é de que as adolescentes estejam participando de um jogo de desafios da internet.

Hannah Letícia e Maria Clara, estão desaparecidas desde o sábado (10) e Rebeca Miquilis, do último domingo (11). De acordo com o pai e mãe de Hannah, Flávio Castro e Elizandra do Nascimento, eles não viram mais a filha quando a deixaram em um cursinho no centro.

blank

As adolescentes entram em contato mandando mensagens dizendo somente que estão bem e que está acabando (Foto: Divulgação)

“Eu a deixei de manhã, depois a mãe dela foi buscá-la às 16h. Às 18h, ela me liga desesperada dizendo que não tinha a encontrado. Ligamos para os amiguinhos, até que descobrimos que ela estava com a amiga Maria Clara e outro colega, no Sumaúma. Fui lá mas não as encontrei”, completou.

Flávio disse ainda que foi até a casa desse colega, que informou que eles se desentenderam e ele acabou pedindo um Uber para as meninas para a Ponta Negra, onde também fez buscas, mas não as encontrou.

A mãe de Rebeca, Ivanildes Miquilis, acrescentou que a filha saiu de casa no início da manhã de domingo (11), procurou pela filha por toda a casa. Pela manhã, ligou para a mãe de Hannah, e disse que a filha dela também estava desaparecida.

“Isso mostra que foi programado, elas foram pegar minha filha em casa. Todas elas levaram mudas de roupa. Suspeitamos que elas participem de um jogo de desafio, que é febre nos Estados Unidos e tem um filme em uma plataforma de streaming. Os jogadores precisam cumprir o desafio para serem liberados. Mas alguém está por trás disso. Estamos desesperados”, enfatizou a mãe de Rebeca.

As adolescentes entram em contato mandando mensagens dizendo somente que estão bem e que está acabando. A mãe de Maria Clara, que não quis se identificar, afirmou que a demora da polícia em rastrear as meninas, pode significar uma tragédia.

“Eles precisam fazer logo um pedido para a justiça autorizar o rastreamento. Eles estão esperando o pior acontecer? Pagamos impostos e precisamos que a polícia e a justiça nos ajude, são as nossas filhas”, clamou a mãe de Maria Clara.

Em nota, a Polícia Civil informou que um Boletim de Ocorrência foi aberto ainda no sábado (10), na Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca) e segundo a delegada Joyce Coelho, titular da Depca, não há atualizações acerca do caso e as investigações continuam em andamento.

No fim da manhã desta terça-feira (13), a delegada Joyce Coelho, chamou para colher os depoimentos, os pais das crianças, onde estão tratando o caso como abandono de lar.

Anúncio