Agricultor confessa que matou homem, em Novo Airão, diz PC

À Polícia Civil, Valdizar Magalhães da Cruz, 43, disse que Francisco Medeiros da Silva, 34, o ameaçou com uma ‘peixeira’. Ainda de acordo com a PC, o homicídio foi motivado por uma briga de bar entre os homens

Manaus – O agricultor Valdizar Magalhães da Cruz, 43, foi preso no domingo (26), na Comunidade Apuaú, no município de Novo Airão (a 115 quilômetros a noroeste de Manaus), suspeito de ter matado, com um tiro de espingarda, Francisco Medeiros da Silva, de 34 anos, conhecido como ‘Chico’. De acordo com a Polícia Civil (PC), o homicídio foi motivado por uma briga de bar entre os dois.

Agricultor responderá por homicídio qualificado e será enviado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM). Foto: Jimmy Geber/Diário do Amazonas

Segundo o delegado Jeff David Mac Donald, o crime aconteceu no dia 17 de julho deste ano, por volta de 3h da manhã. As equipes da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS) e da 77ª Delegacia Interativa de Polícia (DIP) chegaram até o suspeito após uma denúncia de um encontro de cadáver, que estaria esquartejado e enterrado próximo a uma casa.

Ao chegarem ao local, as equipes de investigação não encontraram nada, mas identificaram a residência como pertencente a Valdizar, que foi convocado a comparecer à delegacia do município para prestar esclarecimentos.

Em interrogatório, o suspeito negou ter cometido o crime e disse que ‘Chico’ havia ido até a casa dele para emprestar uma canoa, com o objetivo de pescar. Mas, conforme o delegado, o corpo da vítima foi encontrado, depois, em uma área pertencente a Valdizar.

Após o encontro do cadáver, as equipes policiais continuaram as investigações e encontraram uma espingarda de calibre 20, em posse do suspeito. Valdizar foi, então, levado a um segundo interrogatório e confessou ter usado a arma de fogo para cometer o homicídio. O suspeito disse, ainda, que quando ‘Chico’ foi até a casa dele, o havia ameaçado com uma ‘peixeira’.

Diante da ameaça de morte, o suspeito pegou a espingarda e efetuou um disparo contra a cabeça da vítima, ainda conforme a DEHS.

Em seguida, o suspeito confessou ter enterrado o corpo de ‘Chico’ perto de um igarapé, localizado próximo à casa onde Valdizar morava. “Francisco foi até a casa de Valdizar, em uma canoa, que foi incendiada pelo suspeito, logo após ele enterrar o corpo da vítima”, relatou Mac Donald.

O delegado apontou, ainda, uma briga de bar como causa do assassinato. “Soubemos de uma briga em um bar, entre eles. Mas o suspeito alega que não quis entrar nessa confusão com a vítima, e que teria ido para casa”, contou o delegado, acrescentando que nenhum dos dois envolvidos têm passagem pela polícia.

Ainda segundo o delegado Mac Donald, a Comunidade Apuaú cobrou da polícia a investigação do homicídio. “Foi um crime que causou comoção na comunidade, [que é] pequena, distante de Manaus e muito próxima de Novo Airão”, afirmou.

Em coletiva de imprensa realizada nesta quarta-feira (29), Valdizar chorou, confessando a realização do crime e pedindo perdão aos familiares da vítima. “Pediria para que me perdoassem. Eu tenho a certeza de que Jesus me perdoa, assim como eles vão me perdoar”, disse.

O suspeito responderá por homicídio qualificado e será enviado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM).

Anúncio