Após atacar policial civil, haitiano é baleado em cela de delegacia

Fato aconteceu no momento em que os policiais foram até a carceragem da DEHS para conduzir o haitiano à Audiência de Custódia

Manaus – Após atacar um policial civil, o haitiano Jean Dieune Gedeon, 48, foi baleado, na manhã desta quarta-feira (12), dentro de uma das celas da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), onde está custodiado desde a tarde de terça-feira (11), quando foi preso, em flagrante, suspeito de ter matado a mulher dele.

De acordo com a Polícia Civil do Amazonas (PC-AM), o fato aconteceu no momento em que os policiais foram até a carceragem da DEHS para conduzir o haitiano à Audiência de Custódia. No momento em que ele foi chamado na grade da cela, para ser algemado, não obedeceu. Um dos policiais entrou na cela e Jean, que estava escondido no banheiro, surgiu com um estoque na mão, feito com parte de um cabo de vassoura.

Haitiano atacou um policial civil com um estoque (Foto: Divulgação/PMAM)

Em seguida, o suspeito começou a desferir golpes no policial, utilizando o estoque, atingindo, então, o rosto e um dos antebraços do civil. Eles passaram a travar uma luta corporal, até o policial conseguir sacar a arma de fogo e efetuar os disparos, que atingiram as pernas de Jean.

Após o ocorrido, os policiais civis da DEHS levaram o haitiano para o Hospital e Pronto Socorro (HPS) Platão Araújo, onde recebeu atendimento médico. Conforme a PC, o suspeito deu entrada no hospital consciente e apresentava fratura na perna direita. Ainda na tarde desta quarta-feira, Jean passaria por um procedimento cirúrgico.

Prisão

Jean foi preso, na manhã de terça-feira (11), suspeito de matar a mulher dele, identificada pela PC como Stanrley Ferreira Cavalcante, 33. Ela também é de nacionalidade haitiana. O crime aconteceu, também na terça-feira, na casa onde eles moravam, na Rua Ibiúna (antiga Nove), bairro Novo Aleixo, zona norte de Manaus, segundo informou a equipe da 22ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom), que efetuou a prisão. A suspeita é de que a mulher tenha sido estrangulada.

Anúncio